Rede aleluia
Faxina comunitária: Jovens ugandenses ajudam idosos abandonados a limparem a casa onde residem
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de setembro de 2019 - 18:36


Faxina comunitária: Jovens ugandenses ajudam idosos abandonados a limparem a casa onde residem

Pesquisa aponta que 30% deles já não conseguem realizar esse tipo de tarefa.

Faxina comunitária: Jovens ugandenses ajudam idosos abandonados a limparem a casa onde residem

No dia 7/9, voluntários do programa social Força Jovem Universal (FJU) de Uganda visitaram uma comunidade carente da capital do país, Campala, e ofereceram serviços de limpeza para as pessoas da terceira idade daquela região. Uma pesquisa divulgada pela Centrape – Central Nacional dos Aposentados e Pensionistas, informou que 30% dos idosos têm dificuldades em realizar tarefas domésticas.

Segundo o responsável pela FJU do país, Ercilio Palange, após as autoridades informarem que no bairro de Makerere Kivulu existiam muitos idosos abandonados pelas suas famílias, imediatamente, os jovens voluntários se propuseram a ajudá-los. “Encontramos pessoas debilitadas, doentes e, consequentemente, com dificuldade para realizar os afazeres diários, deixando eles em situações precárias de higiene”, explicou.

Erlicio relata que muitos também estavam deprimidos, sem esperança de encontrar dias melhores. “Isso nos motivou a oferecer não apenas uma limpeza em suas casas e em suas roupas, mas também um pouco de afeto e dedicação. Por isso, nos comprometemos em visitá-los mensalmente. Ofereceremos, também, outros serviços de acordo com a necessidade de cada um”, afirmou.

Uganda: abaixo da linha da pobreza

Situado na região central do continente africano, o país tem atualmente mais de 32 milhões de habitantes. As altas taxas de desemprego têm levado a maioria dos ugandenses a viver abaixo da linha da pobreza, ou seja, com menos de US$ 1.25 por dia.

Os serviços de saneamento ambiental são proporcionados apenas à minoria da população, o que acarreta altas taxas de mortalidade infantil (72 óbitos a cada mil nascidos) e na baixa expectativa de vida, de apenas 50 anos. Outro fator social negativo se refere ao elevado índice de analfabetismo – 27% dos habitantes com idade superior a 15 anos são analfabetos.


reportar erro