Rede aleluia
Fabricante anuncia adaptação da Coronavac para combater cepa Ômicron
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de Dezembro de 2021 - 01:28


Fabricante anuncia adaptação da Coronavac para combater cepa Ômicron

Anúncio foi feito em simpósio organizado pelo Instituto Butantan que produz a vacina no Brasil. O resultado deve ser concluído em três meses

Fabricante anuncia adaptação da Coronavac para combater cepa Ômicron

A Sinovac, fabricante da Coronavac, anunciou alterações na vacina para combater a cepa Ômicron, nova variante do coronavírus. O anúncio foi feito, na terça-feira (7) última, pelo vice-presidente da empresa chinesa, Yaling Hu, em simpósio organizado pelo Instituto Butantan de São Paulo, que produz a Coronavac no Brasil.

De acordo com ele, que também faz parte do grupo especializado da Organização Mundial da Saúde (OMS), a farmacêutica já está fazendo a adaptação do imunizante para neutralizar a nova cepa e o resultado deve ser concluído em três meses. Ademais, com uma capacidade de produção entre 1 bilhão e 1,5 bilhão de doses por ano.

Nos primeiros testes em laboratório, da fabricante da Coronavac, serão avaliadas a segurança e a eficácia da vacina contra a cepa da Ômicron. Os testes em humanos devem começar nas próximas semanas. Segundo o Butantan, a Coronavac tem sido utilizada em 45 países. E, com quase 8 bilhões de doses (de diversos imunizantes) aplicadas em todo o mundo, representa 25% da produção mundial.

Saiba mais acerca da nova cepa

No País, há 6 casos confirmados da variante Ômicron, até o momento: três em São Paulo, dois no Distrito Federal e um no Rio Grande do Sul. Abaixo, saiba mais acerca da nova cepa.

OMS diz que proibições de viagens são ineficazes contra a propagação de variantes do coronavírus:

A saber, a Organização Mundial da Saúde afirmou que as proibições de viagens não são eficazes contra a propagação de doenças. Além disso, que o controle deve ser feito na origem. A OMS também afirmou que a variante Delta é o maior problema neste momento na Europa. E, que o êxito contra esta pode se tornar um ganho importante contra a Ômicron.

Estudo diz que máscara PFF2 elimina quase todo o risco de infecção pelo coronavírus:

Um estudo na Alemanha avaliou o nível de proteção da máscara PFF2. As simulações mostraram que, se usada da forma correta bem como ajustada ao rosto, o risco de contaminação mesmo durante uma conversa em ambiente fechado é de apenas 0,1%. Ademais, a diferença está no material da proteção, que consegue reter, além das gotículas que transmitem o vírus, também as partículas suspensas no ar.


Fabricante anuncia adaptação da Coronavac para combater cepa Ômicron
  • Redação / Foto: Istock 

  • Colaborador: 

  • Michele Roza


reportar erro