Rede aleluia
Evento na África do Sul reúne milhares de jovens em prol da vida
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 4 de Março de 2020 - 10:19


Evento na África do Sul reúne milhares de jovens em prol da vida

“Tire a dor, não a sua vida” foi a mensagem de alerta e ajuda enviada pelos voluntários do Força Jovem Universal

Evento na África do Sul reúne milhares de jovens em prol da vida

Todo ano, o grupo Força Jovem Universal da África do Sul realiza um evento chamado “De Volta às Aulas” (“Back to School”). Nessa última edição, em particular, o FJU promoveu a volta às aulas com o evento focado em alertar e ajudar os jovens com a mensagem “Take the pain away, not your life” (em tradução livre para o português “Tire a dor, não a sua vida”).

Mais de 7 mil pessoas se reuniram apenas na Catedral do Soweto, em Johannesburgo, e mais de 18 mil em todas as sedes estaduais da Universal no país. O evento teve como objetivo ajudar aqueles que estão sofrendo, deprimidos e com desejo de suicídio, devido aos problemas enfrentados na escola, em casa, na comunidade e no trabalho.

“Os jovens enfrentam dificuldades (bullying, abusos, rejeição e relacionamentos rompidos) que não sabem como resolver. Eles se concentram na dor e isso leva à depressão e ao suicídio. Por isso, essa campanha tem o objetivo de mostrar aos jovens que não é o fim, os ensinamos a tirar essa dor”, explicou o Pastor Maicon Teixeira, responsável pelo trabalho do FJU no país.

Mudar o curso de suas vidas

No total, 1600 voluntários participaram do evento. Em todo o país, a programação começou com uma oração feita em prol dos presentes e uma mensagem sobre o tema do dia.

O Bispo Marcelo Pires, responsável pelo trabalho da Universal na África do Sul, deu início ao encontro no Soweto. Ele e sua esposa, Marcia Pires, compartilharam seus testemunhos. O Bispo relatou ter crescido em uma família conturbada. Seus pais viviam em um casamento infiel e violento. E, isso fez com que ele nutrisse um ódio e até um desejo de matar o próprio pai.

Por sua vez, dona Marcia mencionou o abuso sexual que sofreu na adolescência e contou sobre a violência da qual foi vítima durante um relacionamento abusivo. Devido aos traumas, ambos não se sentiam amados, mas, sim, rejeitados e sem valor. Com os testemunhos puderam mostrar a todos ali que, apesar dos problemas, conseguiram mudar o curso de suas vidas.

Nas escolas e universidades

Segundo o Grupo de Depressão e Ansiedade da África do Sul (Sadag, na sigla em inglês), 9% das mortes de adolescentes no país são por suicídio. Muitos são os fatores que desafiam um jovem. Por exemplo, a frustração por não alcançar os resultados esperados nos exames escolares.

Por isso, um dos principais caminhos para convidar os jovens a participar do evento foi por meio do trabalho evangelístico realizado nas escolas, universidades e comunidades. Voluntários distribuíram panfletos, jornais e “bandanas” nesses locais, além da divulgação em mídia social.

Para os jovens na África do Sul, a “bandana” se tornou algo muito popular, um elemento do vestuário. Também tem uma ligação cultural, já que quando haviam os protestos na época do Apartheid, determinados grupos sociais usavam o acessório como símbolo de identificação.

Orientação profissional

A programação do evento ainda contou com apresentações do projeto FJU Cultura. Além disso, profissionais deram orientações sobre carreira e empreendedorismo para ajudar a tirar as dúvidas dos jovens presentes.

Um deles foi o professor Mlungisi Sukazi, que teve a oportunidade de conversar com os jovens individualmente. “Pude compartilhar ideias sobre como escolher uma carreira, ajudando a resolver os desafios que eles enfrentam na escola. E, também, como devem proceder para se inscrever nas instituições de ensino superior e em estágios remunerados”, contou.

A consultora bancária Dineo Matshabe levou um pouco do conhecimento da profissão na qual atua há dois anos. “Também tive a oportunidade de compartilhar com os jovens alguns conselhos sobre como gerenciar suas finanças. Falamos sobre como gerenciar as contas e quando não fazer crédito, preparando-os para que não cometam erros financeiros no futuro”, disse.

Testemunhos de superação

Ademais, durante todo o evento, um espaço denominado “Vent Corner” (Cantinho do Desabafo) foi disponibilizado para que os jovens pudessem receber ajuda espiritual de pastores, esposas e obreiros do FJU. Testemunhos de superação sobre o suicídio e depressão foram compartilhados com todos os presentes provando que existe uma saída.

“Eu tinha uma vida destruída. Minha mãe era alcoólatra e, devido às atitudes dela, me sentia desprezada. Também sofri uma tentativa de abuso dentro de casa. Minha dor aumentou quando minha mãe não acreditou em mim. Isso fez me sentir inútil e rejeitada. Depressiva, pensei que para tirar aquela dor que estava dentro de mim, a solução seria tirar minha própria vida. Tomei vários comprimidos e, após começar a sentir fortes dores no estômago, fui às ruas procurar ajuda. Acabei entrando na Igreja. O Pastor orou por mim e chamou a ambulância. Após minha recuperação, retornei e recebi ajuda espiritual. Pude entender o que estava causando aquela dor na minha alma. Hoje não tenho mais vontade de morrer e tenho paz. Sou uma pessoa completamente transformada e feliz”, relatou a jovem Sisipho Matinise, de 24 anos.

Ao final do evento, 651 jovens foram batizados nas águas.

Grupos sociais da Universal

Você quer conhecer mais sobre os grupos sociais e o trabalho da Universal no Brasil, na África do Sul e no mundo? Acesse as matérias do site universal.org e fique por dentro das atividades.

Quer ser um voluntário do grupo Força Jovem Universal? Acesse as redes sociais do grupo FJU ou vá até uma Universal mais próxima de sua casa e informe-se com o pastor responsável.

Veja galeria de fotos abaixo:

 


Evento na África do Sul reúne milhares de jovens em prol da vida
  • Michele Roza / Fotos: Cedidas 


reportar erro