Rede aleluia
“Eu tomava cinco caixas de um medicamento forte para dormir”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 7 de Outubro de 2021 - 22:42


“Eu tomava cinco caixas de um medicamento forte para dormir”

Após viver um relacionamento abusivo, Maria da Glória conta que foi acometida pela depressão

“Eu tomava cinco caixas de um medicamento forte para dormir”

Quando se fala em relacionamento abusivo, muitas vezes, é um termo que muita gente relaciona à agressão física. No entanto, o comportamento pode tomar outras formas, como violência psicológica, sexual e financeira. Mas você sabia que o relacionamento abusivo também aumenta o risco de ansiedade e depressão?

Foi o que aconteceu com a dona Maria da Glória Prudêncio de Freitas. Segundo conta, durante anos, ela sofreu nas mãos do companheiro e, por causa disso, ela passou a ser uma pessoa depressiva.

“Eu sentia muito medo, ficava em um quarto. Sofri nas mãos dele… fui abusada psicológica e fisicamente; cheguei ao ponto de fugir de casa com os meus filhos, para tentar fugir dos problemas que me assolavam”, relembra.

Glória foi tão afetada pela doença que chegava a sentir a morte de perto. “Sentia muitos calafrios, tinha uma sensação de morte e sempre tinha que ir para o pronto atendimento para ser medicada. Cheguei a tomar cinco caixas de um medicamento forte para poder dormir”, lembra.

Mas, um dia, uma colega lhe fez um convite que mudaria de vez sua vida. “Quando cheguei à Universal, vi que naquele lugar minha vida poderia ter um novo rumo. Eu não hesitei, aceitei a Palavra, usei a fé e hoje estou liberta”, comemora.

Assista ao vídeo abaixo e saiba mais detalhes:

Participe da Sessão do Descarrego

No Templo de Salomão, localizado na Avenida Celso Garcia, 605, Brás – as reuniões acontecem às 7h, 10h, 12h, 15h e às 20h. Mas, você também pode participar em uma Universal mais próxima de sua casa. Clique aqui e veja o endereço.


“Eu tomava cinco caixas de um medicamento forte para dormir”
  • Sabrina Marques / Foto: Reprodução 


reportar erro