Rede aleluia
“Eu tinha tudo o que eu queria, mas não era suficiente”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 1 de agosto de 2020 - 01:03


“Eu tinha tudo o que eu queria, mas não era suficiente”

Sem entender a razão de sua tristeza, Jaqueline quis morrer. Assista ao relato completo no vídeo abaixo

“Eu tinha tudo o que eu queria, mas não era suficiente”

Jaqueline tinha uma boa família, amigos e uma vida onde não deveria haver espaço para a tristeza. Mas, a tristeza estava ali. Pior do que isso: a única maneira que ela encontrava para lidar com essa dor era se entregar ao alcoolismo.

“Aos 12 anos, sem influência alguma, eu comecei a beber”, relembra a jovem, hoje com 25 anos de idade. “Eu cheguei ao nível em que comecei a beber sozinha, dentro da minha casa”.

De fato, Jaqueline conta que seu vício era sustentado em segredo. Ela não bebia sequer entre amigos ou na frente de sua família. Entretanto, ao chegar em casa, entregava-se ao vício.

“Eu comprava a bebida escondida, ia para o meu quarto e bebia sozinha. Isso para tentar esquecer toda aquela tristeza. Mas eu não encontrava um motivo para sentir aquilo. Não encontrava uma razão. Eu tinha tudo o que eu queria: minha família, meus amigos… Mas isso não era suficiente. Então eu bebia. Aí depois, quando eu voltava a mim, me sentia enojada, suja”.

Essa vida dupla, em que a tristeza era secreta e alimentada pelo alcoolismo, levou Jaqueline a desejar a própria morte. Sem encontrar alternativas para lidar com a dor, tudo o que ela pensava em fazer era cometer o suicídio.

A situação só mudou no dia em que ela decidiu entregar sua vida, não à morte, mas a Deus.

Assista ao vídeo abaixo e veja o que aconteceu com Jaqueline, após esse episódio:

O Jejum de Daniel é feito para todos aqueles que precisam de uma vida nova. Ao entregar-se a Deus, você também pode superar qualquer problema que esteja enfrentando. Esse ano, o Jejum acontece entre os dias 2 e 22 de agosto. Clique aqui e saiba como participar.


“Eu tinha tudo o que eu queria, mas não era suficiente”
  • Andre Batista/ Imagem: Reprodução 


reportar erro