Rede aleluia
“Eu era um homem muito nervoso”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 20 de Outubro de 2022 - 23:00


“Eu era um homem muito nervoso”

Saiba como Bruno Michel foi liberto do nervosismo e hoje é um homem cheio de paz

“Eu era um homem muito nervoso”

O engenheiro civil, Bruno Michael de Almeida, conta que era uma pessoa muito nervosa, além disso, ele sofria com depressão e crises de ansiedade.

Situação:

Antes de chegar à Universal, o engenheiro civil Bruno Michael de Almeida, de 33 anos, sofreu por muitos anos com depressão e crises de ansiedade. Devido aos problemas, ele passou a ser uma pessoa muito nervosa.

“Eu era depressivo desde a adolescência, também passei a sofrer com crises de ansiedade. Estes problemas surgiram após a separação dos meus pais”, disse.

Além disso, Bruno se tornou uma pessoa muito nervosa.

“Eu não conseguia me controlar, por qualquer situação eu estourava, ficava muito nervoso e isto me levou ao hospital por duas vezes”, lembra.

Como aconteceu a mudança:

Bruno foi convidado pela mãe a participar de uma reunião na Universal. Inicialmente, o convite não foi aceito, pois devido às notícias falsas que via sobre a igreja, ele pensava que “poderia ser roubado”.

“Eu ouvia falar muito mal da igreja e do Bispo Edir Macedo, e mesmo precisando de ajuda, não aceitei o convite, pois pensava que poderia ser roubado pelos pastores…”, comentou.

Mas, um dia, Bruno percebeu que somente Deus poderia ajudá-lo a se livrar do mal que o perturbava e, finalmente, aceitou o convite.

Hoje, transformado, Bruno faz parte do grupo “Depressão tem Cura” e, agora, ele leva a Palavra de Deus aos que precisam.

Assista ao vídeo abaixo e saiba mais detalhes:


“Eu era um homem muito nervoso”
  • Sabrina Marques / Foto: Reprodução 


reportar erro