Rede aleluia
“Eu cresci com muitos complexos de inferioridade”, conta a romena Izabela
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 24 de Setembro de 2021 - 14:42


“Eu cresci com muitos complexos de inferioridade”, conta a romena Izabela

Hoje, ela é obreira na Universal na Romênia. Confira esta história na íntegra

“Eu cresci com muitos complexos de inferioridade”, conta a romena Izabela

Em 1989, a Romênia era conduzida por um regime comunista, do ditador Nicolae Ceauşescu, que perseguia duramente os cristãos.

Felizmente, nos dias de hoje, a Obra de Deus tem avançado entre a população e as pessoas têm conhecido a mensagem de fé bíblica.

Leia também: Universal na Romênia: você, realmente, quer ser usado por Deus? Então, precisa ver isto

Tristezas e desilusões

Uma dessas pessoas foi a romena Izabela (foto acima), de 23 anos, que é pedagoga. Ela cresceu em um lar conturbado. O pai era alcoólatra e havia muitas brigas entre ele e a mãe. O relacionamento terminou em divórcio quando Izabela tinha apenas três anos.

Assim, ela viveu por alguns anos com a avó. Enquanto isso, a mãe vivia com outro filho, que na época tinha 6 anos, na área urbana de Bucareste, capital do país.

“Como eu era uma criança, eu não entendia por que a minha mãe havia me abandonado. Eu pensava que ela não me amava”, relembra Izabela.

Posteriormente, a mãe conseguiu comprar um pequeno apartamento e passou a viver com os dois filhos. Então, a mãe de Izabela se casou novamente e teve uma filha. Apesar dos irmãos se darem bem, o padrasto fazia diferença entre eles.

“Eu cresci com muitos complexos de inferioridade. Achava que ninguém me amava, que teria sido melhor se eu não tivesse nascido. Tinha um grande vazio dentro de mim que procurava preenchê-lo com amizades, baladas, mas nada funcionava, nada me preenchia. Eu sentia apenas uma alegria momentânea. Mas quando estava sozinha, eu chorava muito, eu dormia todas as noites com lágrimas nos olhos e queria acabar com aquela vida que parecia um pesadelo”, conta.

Perfume Universal

Felizmente, certo dia, a mãe de Izabela conheceu a Igreja Universal e participando dos encontros chegou a ser curada de várias doenças por meio da fé. Porém, Izabela não aceitava os convites que a mãe fazia, mas ela nunca desistiu de lutar pela filha.

Com o tempo, o desejo de tirar a própria vida crescia dentro de Izabela, até que, aos 17 anos, ela aceitou acompanhar a mãe até a Igreja.

“Eu chorei toda a reunião, mas aquelas lágrimas não eram de tristeza e, sim, porque fui liberta de um grande peso que eu carregava sobre mim. Depois daquele dia, eu queria mais, eu estava sedenta de conhecer o Único que poderia preencher o vazio que estava dentro de mim. Eu praticava tudo o que eu aprendia nas reuniões de quarta, sexta e domingo. Eu queria um encontro verdadeiro com o Noivo. Por isso, eu busquei o Espírito Santo com todo meu coração, com toda minha alma e com todo o meu entendimento. Eu tive um encontro com Deus. O Espírito Santo fez morada dentro de mim. Isso é maravilhoso”, comemora.

Rumo aos Céus

Hoje, Izabela garante que é uma pessoa feliz, cheia de paz e da presença de Deus. Ela acrescenta que não culpa ninguém pelos problemas do passado, mas é grata por ter enfrentado aquilo, porque foi por meio dos obstáculos da vida que ela se tornou uma pessoa mais forte.

“Sou a pessoa mais rica do mundo, porque eu tenho esse Tesouro dentro de mim, que é o Espírito Santo, e que não pode ser comprado nem com todo dinheiro desse mundo”, diz.

Agora, seu desejo é ajudar outras pessoas como ela foi ajudada. Por isso, ela atua como obreira na Universal na Romênia.

“Para me manter na fé, eu tenho que alimentar a minha alma todos os dias, assim como eu tenho que alimentar o meu corpo com alimento físico”, conclui.

Leia também: Na Romênia, Bispo Macedo ensina sobre a importância da Palavra de Deus


“Eu cresci com muitos complexos de inferioridade”, conta a romena Izabela
  • Da Redação / Fotos: Cedidas 


reportar erro