Rede aleluia
“Eu achava que não merecia o Espírito Santo”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 16 de Agosto de 2022 - 22:56


“Eu achava que não merecia o Espírito Santo”

Conheça a história de Jeane Vidal e saiba de que forma o seu pensamento mudou

“Eu achava que não merecia o Espírito Santo”

“Eu achava que não merecia o Espírito Santo”, era o que a jornalista Jeane Vidal pensava, mas tudo mudou quando ela se conscientizou que somente Ele poderia transformar sua vida.

Situação:

Os problemas emocionais começaram a surgir na vida da jornalista Jeane Vidal ainda na infância, aos cinco anos de idade. Segundo conta, ela teve que lidar com a separação dos pais e, apesar da pouca idade, Jeane sofreu muito com as consequências do afastamento entre os progenitores.

 “Eu vim de uma família desestruturada por conta da separação dos meus pais e neste período senti uma carência muito grande, embora, na época, eu não tivesse noção disso, mas a situação refletiu no meu desenvolvimento”, disse.

Na adolescência, Jeane se tornou uma pessoa retraída quando estava em público, o que acabou afetando suas relações de amizade e etc. “Já na vida amorosa nunca fui uma menina de namorar muito por conta desta dificuldade de me aproximar das pessoas, eu sempre me excluía porque tinha medo de ser rejeitada”, lembra.

Detalhes:

Apesar de toda a situação, Jeane se esforçava e passou a ser uma pessoa mais comunicativa, mas a situação era apenas para tentar esconder o vazio que sentia na alma.

Um dos pontos mais críticos na vida da jornalista foi aos 18 anos, quando conheceu uma pessoa no local de trabalho.

“Eu trabalhava em um banco e comecei a me envolver com uma pessoa que trabalhava comigo, que era casada e eu sabia disso… Mas me envolvi de tal forma que eu não conseguia falar ‘não’ para aquele relacionamento. Ele, por sua vez, nunca se dispôs a ficar comigo, e eu levei isso durante um ano e sofri muito”, lembra.

Além de todos os complexos e problemas que carregava ao longo da vida, Jeane se sentia muito desvalorizada. Um dia, porém, mesmo sofrendo, ela resolveu dar um basta naquela situação.

Foi quando ela começou a frequentar as reuniões na Universal, onde se libertou e passou a se envolver com as coisas de Deus, até que ouviu falar do Espírito Santo. Inicialmente, ela achava que não O merecia, diz, mas após entender o Seu propósito, passou a buscá-lO e O recebeu.

Assista ao vídeo abaixo e conheça mais sobre a história de Jeane Vidal:


“Eu achava que não merecia o Espírito Santo”
  • Sabrina Marques / Foto: Reprodução 


reportar erro