Rede aleluia
Entrevista perfeita
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 23 de Junho de 2019 - 00:05


Entrevista perfeita

Como agir para ganhar a vaga de emprego durante um processo seletivo?

Entrevista perfeita

Para quem busca uma colocação no mercado de trabalho, passar por processos seletivos pode ser uma verdadeira guerra. A Folha Universal conversou com a consultora de carreira e master coach Luciane Vecchio para saber como proceder ao concorrer a uma vaga de emprego.

Espírito de dono
É essencial apresentar um currículo que conte de forma objetiva e com bom conteúdo a trajetória profissional. “Preste atenção ao perfil solicitado: quanto por cento daquele perfil você atende? Entenda o posicionamento da empresa no mercado, o negócio, as questões financeiras que envolvam a organização, sua visão e missão e o seu papel social. As empresas valorizam isso e também aqueles que desejam crescer na empresa, com o que é chamado de ‘espírito de dono’ ou ‘ownership’”, explica Luciane.

Estudo da carreira
Para muitos candidatos, um dos dilemas é responder a perguntas difíceis. “A maioria vai para uma entrevista sem se preparar, deixando para responder e se lembrar do que será questionado naquela hora. Isso, aliado ao nervosismo, certamente contribuirá para o fracasso no processo. Mas, se a pessoa se conhece bem, saberá falar de si ainda que seja colocada em ‘saias justas’.” Ela lembra o que poderá ser questionado: “sobre o seu comportamento, motivos de saída das empresas, atividades realizadas, liderança de equipe, relacionamento interpessoal e se preparar para os conteúdos que ela já sabe que são mais complicados”.

Mente positiva
Na opinião de Luciane, o candidato precisa acreditar em si mesmo. “Responder ao que for perguntado com segurança e assertividade é essencial. Preste atenção à postura e à forma de comunicação. Fale a língua portuguesa de maneira correta, sem gírias. Sente-se adequadamente na cadeira, cumprimente, seja educado. Às vezes, a pessoa já está tão desanimada por causa do desemprego, que demonstra em seu corpo cansaço, ansiedade e tristeza”, informa.

Aprimoramento
A consultora observa que a reprovação não deve ser considerada como algo pessoal. “Faça uma análise sincera sobre sua carreira, currículo, respostas dadas ao recrutador e veja como melhorar. Você saberá que não é por não ter dado o melhor de si, mas por outras questões que podem até fugir do controle, como outra pessoa com mais expertise técnica, por exemplo. Da mesma forma, quando aprovado, entenda que estudar nunca é demais. Perceba que aprimorar-se é essencial e que aquele é mais um passo de carreira, que exigirá dedicação e desenvolvimento contínuos.”

Proativa
Cristiane Costa de Almeida, de 44 anos, hoje tem uma loja em São Paulo, mas, antes disso, passou por situações em que teve que disputar vagas de emprego. “Sempre procurei ser proativa e buscar informações sobre as empresas que gostaria de trabalhar para estar preparada na hora da entrevista. Em uma época recente, disputei uma vaga para uma empresa que prestava serviços eletrotécnicos. Não é uma área que contrata mulheres, mas me preparei fisicamente e mentalmente para as atividades. Fiz treinamento dentro da área, concorri com 50 homens e passei”, lembra.

Ela se recorda que as situações sempre testavam sua capacidade. “Não é fácil enfrentar o estresse de lidar com o público na hora em que você tem que fazer um corte de energia. O trabalho também era pesado, mas acredito que o que me manteve firme foi o fato de ter a direção de Deus. Sempre procurei agregar para trazer algo para as empresas nas quais trabalhei e é isso que busco hoje na minha loja, que os meus funcionários tenham a mesma postura que a minha e se tornem melhores a cada dia”, avalia.


Entrevista perfeita
  • Eduardo Prestes / Arte: Eder Santos/ Foto: Gettyimages 


reportar erro