Rede aleluia

Notícias | 3 de julho de 2016 - 03:05


Empresa é condenada a pagar indenização por ofender funcionário

Agressões verbais foram feitas por meio de aplicativo de mensagens telefônicas

Uma notícia sobre uma decisão da Justiça brasileira causou certa polêmica em meados deste mês. A Justiça do Trabalho do Distrito Federal condenou uma empresa a pagar uma indenização de R$ 3 mil a um trabalhador que foi ofendido e ameaçado pelo chefe por meio do Whats- App, aplicativo que permite trocar mensagens pelo celular sem pagar por SMS.

O analista de suporte, que prestou serviços para a empresa entre junho de 2014 e agosto de 2015, disse que foi tratado com rigor excessivo e agredido verbalmente pelo chefe com palavras de baixo calão. Além disso, o funcionário teria sido ameaçado de ser retirado de seu local de trabalho por meio de força policial.

Em sua defesa, a empresa alegou que o funcionário era insubordinado e preguiçoso. Porém, para a juíza Larissa Lizita Lobo Silveira, da 2ª Vara do Trabalho de Brasília, a aplicação de punições por parte do empregador deve ser feita com limites e critérios, respeitando a honra e a moral dos empregados.

A decisão da Justiça levanta questionamentos sobre o tratamento correto a dar em assuntos relacionados ao ambiente de trabalho. A empresa talvez tenha errado ao usar o recurso para tratar de um assunto sério como a conduta de um profissional. Se essa atitude já é questionável, pior ainda é ofendê-lo e deixar isso registrado por meio do aplicativo. Foi a cereja do bolo estragado. Talvez, fosse melhor chamar o funcionário para uma reunião e tentar resolver o problema de outra forma.

Sem entrar no mérito de quem tinha razão no caso citado, se o funcionário ou a empresa, por mais que a tecnologia esteja à disposição de todos para agilizar a vida e torná-la mais fácil, com aplicativos e também com a própria internet (com suas inúmeras funções para, em especial, melhorar os conhecimentos do ser humano e ser um instrumento de comunicação para as pessoas), é preciso utilizá-la com sapiência. Não adianta ter todo um aparato tecnológico ou um simples aplicativo telefônico se não sabemos utilizá-
los de forma adequada.


  • Por Eduardo Prestes / Foto: Fotolia  



reportar erro