Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 17 de junho de 2018 - 03:05


Ele tinha apenas um mês de vida

Elcio Moreira foi diagnosticado com câncer no fígado. Para os médicos, estava condenado à morte, mas ele foi curado por meio da sua fé

radiologista Kelly de Oliveira, de 40 anos, levou o pai, Elcio Moreira, de 63 anos (foto acima), para uma consulta médica de rotina. Vários exames foram realizados e os resultados não foram tão bons quanto o esperado.

Um médico endocrinologista alertou Kelly quanto à possibilidade de Elcio estar com um problema grave no fígado. Ele estava com um câncer em consequência de uma hepatite C que não tinha sido diagnosticada nem tratada anteriormente. “Quando o médico conversou comigo sobre a doença do meu pai, eu me preocupei, pois sabemos que o câncer pode matar”, conta. A família de Kelly frequenta a Universal desde 1995. Desde então, sempre coloca em prática a fé inteligente e os ensinamentos que aprende nas reuniões.

O ano era 2014 e Kelly ficou bastante abalada com a notícia, mas sabia que apenas Deus poderia tirar o pai dela daquela situação. Foi quando decidiu agir a fé com muito mais força.

Os médicos realizaram novos exames e iniciaram o tratamento com fármacos orais e quimioembolização, que é um procedimento que leva medicamentos quimioterápicos ao tumor, por meio de cateterismo, para reduzir o seu tamanho e impedir o seu crescimento.

O tratamento com a quimioembolização, porém, não trouxe bons resultados, uma vez que causou inflamação no pâncreas (pancreatite), logo após a terceira aplicação.

“A minha família toda achava que o meu pai iria morrer, que ele não tinha nenhuma perspectiva. Apenas eu e a minha mãe estávamos confiando em Deus, porém, muitas vezes, nos abatíamos em vê-lo naquela situação.”

Elcio seguiu tratando o câncer no fígado e, em 2015, a médica prescreveu um tratamento com uma quimioterapia mais agressiva. “Eu sabia que ele estava muito debilitado e que não resistiria. Eu disse para a médica que preferia que fosse feita uma cirurgia para a retirada do tumor. Ela não aceitou e explicou que isso reduziria o tempo de vida dele, que era de apenas um mês. Eu retruquei e afirmei que para ela era um mês, mas, para o meu Deus, o meu pai tinha muitos anos de vida”, relata.

Apesar dos riscos, a cirurgia foi feita em janeiro de 2016. “Estávamos cientes de que ele poderia morrer, mas permanecemos confiantes em Deus. Tínhamos a certeza de que nada de errado iria ocorrer, apenas cremos no milagre”, lembra.

Tudo ocorreu bem no procedimento. Dois meses depois, Elcio passou por uma nova cirurgia para retirar outra parte do tumor. A recuperação foi delicada e ele adquiriu uma infecção no abdômen.

Os médicos colocaram oito drenos no abdômen dele para retirar os líquidos acumulados e diminuir a infecção. “Os médicos o desenganaram. Foi quando eu recebi uma ligação da minha tia, pedindo para que eu fosse ao hospital porque ela achava que ele não passaria daquela noite. Antes de sair, eu orei e disse para Deus que eu queria um milagre. Eu determinei que, ao chegar lá, eu encontraria o meu pai bem”, conta.

Tudo ocorreu como Kelly determinou. Ela encontrou seu pai conversando normalmente. Elcio foi se recuperando e logo teve alta do hospital.

Elcio seguiu realizando acompanhamento médico por mais um ano. Em dezembro de 2017, ele refez os exames e não foi constatada nenhum célula cancerígena ou qualquer vestígio do tumor no fígado.

Ele estava curado, ganhou vitalidade e retornou para as suas atividades normais. Durante todo o período da doença, a família se fortaleceu nas reuniões de cura, por meio de propósitos e orações.

Os médicos se surpreenderam com o que aconteceu na vida de Elcio e reconheceram que ele está vivo graças à fé que a família tem em Deus. Ele recebeu o milagre da cura e tem uma vida saudável.

Reunião da Saúde restaurada

Direcionada a quem sofre com uma doença, dores ou problemas de saúde persistentes. Todas as terças-feiras, no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de você. Para saber os horários, clique aqui.

* A Universal ensina a prática da fé espiritual associada ao tratamento médico recomendado a cada paciente


  • Por Michele Francisco / Fotos: Cedidas 


reportar erro