Rede aleluia
Ele sofreu por 14 anos no mundo das drogas
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 5 de Abril de 2021 - 20:45


Ele sofreu por 14 anos no mundo das drogas

Cansado daquela vida, Arnaldo decidiu buscar Quem nunca havia desistido dele

Ele sofreu por 14 anos no mundo das drogas

Há oportunidades que só reconhecemos depois que sofremos as consequências por não tê-las aproveitado quando surgiram. Arnaldo Soares da Silva Filho, de 33 anos, admite que poderia ter evitado muito sofrimento se tivesse se beneficiado com as chances que a vida lhe deu.

Quando ele era criança, sua mãe foi curada de diversos problemas de saúde depois de ser convidada a participar de uma reunião na Igreja Universal. Ela levava os filhos para que participassem dessa rotina de Fé, mas Arnaldo revela que ia às reuniões só para agradá-la.

Ao se tornar adolescente, ele encontrou outra motivação para frequentar a Igreja: estar com outros jovens. Contudo ele não levava as coisas de Deus a sério. “Até me batizei nas águas, mas não fazia a vontade de Deus. Os obreiros me falavam que Deus queria me usar, mas eu tinha que entregar os meus caminhos e a minha juventude para Ele e eu não aceitava porque pensava que minha juventude tinha que ser aproveitada de outra maneira. Por isso, eu vivia com um pé na igreja e outro no mundo. Aos 16 anos me afastei definitivamente”, relata.

Um vazio

Na tentativa de preencher o vazio que trazia em sua alma, Arnaldo começou a frequentar baladas e a usar drogas. “Eu era viciado em bebidas, maconha, haxixe, cocaína, lança-perfume, LSD, cristal MD e jogos. Cheguei a ficar detido em uma delegacia e já fui jurado de morte duas vezes”, conta.

Arnaldo ficou afastado da Fé por 14 anos. Durante todo esse tempo, sua mãe nunca desistiu de lutar por ele por meio dos propósitos e correntes de oração. Até que um dia, por não aguentar mais sofrer, ele aceitou o convite de sua mãe para ir à Igreja.

Sem perder mais tempo

Dessa vez, Arnaldo não desperdiçou a oportunidade que estava recebendo. Na primeira reunião de libertação de que participou, ele decidiu que não sairia do mesmo jeito. “Daquele dia em diante tudo mudou. Deixei o mundo das drogas, avisei a todos que eu estava indo para a Igreja e que não queria mais aquela vida para mim”, diz.

Para encerrar aquela velha vida, alguns dias depois, ele se batizou nas águas. “Um dia, durante o programa Palavra Amiga, o Bispo Edir Macedo citou a passagem bíblica de João 6.35, em que Jesus disse: ‘Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede’. Ali eu entendi que a minha alma estava faminta e que eu precisava deste Pão que era Jesus morando em mim. Busquei a Deus e após dois meses na Igreja eu já estava livre, batizado nas águas e cheio do Espírito Santo”.

Arnaldo afirma que sua vida foi transformada por Deus. Atualmente, ele se dedica a levar a Palavra que mudou a sua vida para outras pessoas.


Ele sofreu por 14 anos no mundo das drogas
  • Núbia Onara / Fotos: Cedidas 


reportar erro