Rede aleluia

Notícias | 8 de julho de 2018 - 03:05


Ela quebrou a maldição hereditária

Conheça a história de Valéria Boeira de Melos, que venceu um tumor no fígado

Em março de 2015, a empresária Valéria Boeira de Melos, de 37 anos (foto a dir.), começou a perder peso. Sem apetite e preocupada com a situação, ela achou que o problema poderia estar relacionado ao estômago e logo procurou um médico gastroenterologista. Ela fez alguns exames e recebeu a notícia de que poderia estar com um tumor no fígado.

O gastroenterologista encaminhou Valéria para um oncologista e, por meio de exames específicos, o tumor (hiperplasia nodular focal do fígado) foi diagnosticado.

A médica oncologista Renata D’Alpino, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, explica que os sintomas do câncer no fígado são dor na região direita do abdome, cansaço e icterícia, entre outros. “A doença surge, geralmente, do acúmulo de mutações nas célula do fígado, em decorrência de inflamação crônica”, completa.

Valéria, que estava com 34 anos à época, ficou assustada. “Perdi meus avôs maternos, avó paterna e uma prima de primeiro grau para o câncer e, naquele momento, o problema estava acontecendo comigo.”

A oncologista esclarece que o tratamento pode variar desde cirurgia ou radioterapia nas lesões pequenas e localizadas até a quimioembolização, na qual é feita uma espécie de cateterismo na artéria do fígado, chegando nas artérias que nutrem o tumor, para lançar partículas quimioterápicas que fecham esses vasos de sangue. “Dependendo do caso, o paciente também pode ser listado para transplante. Se for preciso tirar alguma parte do fígado e este tiver com boa função, o paciente costuma se recuperar bem.”

Valéria foi encaminhada às pressas para realizar uma quimioembolização.

Sem perder a fé

Ao longo do tratamento, a empresária começou a enfrentar problemas financeiros. “Quando descobri a doença, ganhava muito bem, trabalhava como podóloga. Precisei ser afastada e comecei a receber menos de um salário mínimo. Meu esposo ficou desnorteado com a minha saúde debilitada. Ele mal conseguia trabalhar.”

Valéria frequentava a Universal há 17 anos e sabia que somente Deus poderia livrá-la daquela situação. Ela começou a exercitar a fé e tomou a decisão de fazer um voto no Altar. “Fui para o Altar e, quando desci dali, nasceram em mim coragem e confiança. Com o passar dos dias, eu já percebia que estava mais forte. Ganhei peso e meu cabelo parou de cair. Eu precisaria fazer as sessões de quimioembolização uma vez por mês, durante um ano, e fiz apenas quatro, pois logo apresentei melhoras.”

Depois de um ano de tratamento e sem perder a fé, Valéria recebeu uma má notícia: teria que passar por um procedimento cirúrgico para retirar o tumor, que já pesava 1.437 kg.

A cirurgia foi de alto risco. “Os médicos disseram que, quando me abriram, viram que o meu fígado estava pior do que eles imaginavam. Foi necessário retirar uma parte dele para que o órgão pudesse se regenerar de forma saudável. Perdi muito sangue. Retiraram a minha vesícula e cortaram o meu diafragma, o que complicou a minha situação. Para completar, os médicos ainda disseram que eu poderia ter sequelas na fala.” Ela ressalta que a mãe, Ilca Boeira de Melos, de 67 anos, foi de grande importância e lhe deu muito apoio nessa fase difícil.

A resposta

Valéria ficou internada por cinco dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A família, que continuava a buscar por ela nas correntes da Universal, viu o milagre acontecer. Ela acordou e foi desentubada logo no segundo dia de UTI, o que surpreendeu o médico. “Quando meu médico soube que eu estava acordada, ele perguntou o que tinha acontecido, pois não estava entendendo nada. Foi quando eu disse que a medicina e Jesus me operaram. No mesmo instante, ele disse que também acreditava nisso.”

Hoje, Valéria tem uma vida normal, sem nenhuma sequela. “Minha família tinha uma maldição hereditária, que tirou a vida de muitos em consequência do câncer. Eu quebrei essa maldição por meio da fé.”

Ao lado do esposo, Fabio de Souza Ferreira, de 36 anos, ela conseguiu abrir a própria empresa no ramo de depósitos de pedra e prestação de serviço. Hoje o casal tem uma vida financeira abençoada, bem diferente da época em que Valéria ficou doente. “Deus faz tudo por completo”, finaliza.

Reunião da Saúde restaurada

Direcionada a quem sofre com uma doença, dores ou problemas de saúde persistentes. Todas as terças-feiras, no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de você. Para saber os horários, acesse universal.org/enderecos

* A Universal ensina a prática da fé espiritual associada ao tratamento médico recomendado a cada paciente


  • Por Maiara Máximo / Fotos: Cedidas 



reportar erro