Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 2 de abril de 2020 - 08:55


Doação de sangue: mutirão em favor da vida

Ação será realizada em diversos estados no Brasil e espera beneficiar mais de 14 mil pessoas. Saiba mais

O lugar que outrora era reservado para cultos, e que por determinação do governo, por enquanto, permanece sem a realização de reuniões durante o período de quarentena, não deixou de cumprir, de uma forma ou de outra, a sua principal função: promover a vida.

E mesmo em meio à tensão espalhada pelo coronavírus, as pessoas não deixaram de sair de suas residências para ajudar.

Ainda não havia se iniciado o horário das doações, que foram marcadas para começar às 9h, e o número de pessoas que chegavam ao Complexo do Templo de Salomão, na zona leste da capital paulista, para participar já havia alcançado a meta. O apelo havia sido feito pelas redes sociais da Igreja Universal, pela rádio e pela tevê.

O evento organizado pela Universal, por meio do seu Grupo da Saúde e em parceria com o Banco de Sangue Paulista, contou com mais de 20 voluntários que auxiliaram na organização, obedecendo aos protocolos atuais para evitar o contágio por covid-19.

Os doadores faziam o cadastro. Depois, passavam por uma triagem. E, em seguida, por uma entrevista com o médico. Só então, estavam liberados para a coleta de sangue que durava em torno de 15 minutos.

O responsável pelo trabalho da Universal no Brasil, o Bispo Renato Cardoso, esteve presente na ação e falou o quanto era animador ver a disposição das pessoas em ajudar, mesmo em meio a tantas más notícias.

“São pessoas movidas por um propósito maior, pela fé. Por isso, é importante que a Igreja seja vista – tanto pelas autoridades, como pela sociedade de um modo geral – pelo papel mais que essencial que ela cumpre, como hoje. Mais uma vez, temos visto isso”, ressaltou.

E avisou que a Igreja está à disposição pelo tempo que for preciso para atender à essa necessidade. Quer seja oferecendo espaço ou com a convocação de voluntários.

Amor ao próximo

E disposição foi algo visto em todos os que foram fazer sua doação.

Um dos primeiros doadores a chegar ao local, o zelador Cícero José da Silva (foto ao lado), de 57 anos, membro da Universal há 28 anos, conta que não pensou duas vezes ao saber que haveria esta ação.

“Diante da situação atual dos hospitais sem estoque de sangue, eu me vi no dever de vir o mais rápido possível e fazer a minha parte”, conta.

Para o autônomo Emerson Alves Ferreira (foto ao lado), de 26 anos, membro da Universal há 7 anos, a doação vai muito além de uma atitude solidária.

“Eu creio que é uma questão espiritual. Pois, é uma maneira de você amar ao próximo e poder salvar a vida de uma pessoa que nem ao menos conhece”, explicou.

Foi este mesmo tipo de amor que fez com que a assistente social Ana Paula Teles (foto ao lado), de 40 anos, saísse de casa para fazer a sua doação.

Ela trabalha em um núcleo de convivência para idosos. E, por causa da quarentena, as atividades foram suspensas. Assim, a voluntária acrescenta que é preciso fazer mais para ajudar. Porque, neste momento, as pessoas estão isoladas. Principalmente, as que fazem parte do chamado “grupo de risco”.

“Lembrar do que o Senhor Jesus fez por nós nos motiva a fazer este sacrifício em prol dos necessitados”, concluiu Ana.

Uma parceria que deu certo

A parceria entre os bancos de sangue e a Universal não é de hoje. Desse modo, o Bispo Eduardo Ribeiro (foto ao lado), responsável pelo trabalho do Grupo da Saúde, conta que os bancos de sangue procuraram a Igreja desde o início do ano.

Somente de janeiro até março de 2020, foram 22.849 doadores em todo o Brasil, que beneficiaram um total de 91.396 pessoas.

O Bispo Eduardo explica que, antes, este apoio era feito direcionando as pessoas às localidades dos bancos de sangue. Porém, agora, diante da crise, as pessoas estão com medo de sair de casa para ir até o hemocentro. Então, a ideia foi disponibilizar os espaços da Igreja.

“Abrirmos as portas da Igreja facilitou trazermos os bancos de sangue para mais perto dos doadores. Não estamos podendo fazer os cultos, mas estamos ajudando, de uma forma ou de outra, a nossa sociedade”, destacou o Bispo Eduardo.

Ele conta que, tradicionalmente, durante os meses de janeiro, junho e novembro, o grupo faz essa ação. Mas, agora, é importante atender a necessidade imediata dos bancos de sangue. “Quando eles batem na nossa porta e dizem que precisam com urgência, sabem que nós podemos atendê-los”, finalizou.

Leia também:

Universal doa alimentos a quem está sem trabalho

Coronavírus: Universal garante refeição a caminhoneiros que só encontram restaurantes fechados nas estradas

Doe vida

As doações, realizadas no Templo, seguem nos dias 2 e 3 de abril, das 9h às 13h. Vale ressaltar que para cada dia de doação, há um número pré-estabelecido de doadores. Por isso, estão sendo distribuídas senhas para as 60 primeiras pessoas que chegarem.

A Universal tem disponibilizado as suas edificações para que possam servir de postos de coleta de sangue. Para isso, a Secretaria de Saúde de cada localidade faz uma avaliação do espaço e libera para que os bancos de sangue façam as suas instalações.

Só para ilustrar, a sede da Universal em Del Castilho, no Rio de Janeiro, serviu de posto do Hemorio, no dia 30 de março. Foram realizadas 120 doações. No Espírito Santo, em dois dias de ação, foram feitas 100 coletas.

Além de São Paulo, outros estados aderiram à iniciativa. E a previsão é de que, em todo o Brasil, cerca de 3.550 pessoas façam suas doações e com isso 14.200 pessoas sejam beneficiadas.

Assista no vídeo abaixo a reportagem sobre o primeiro dia de doação em São Paulo:

Confira abaixo a lista dos estados, locais, datas e horários para doações:

Sergipe

Local da doação: Avenida Tancredo Neves, 2464, bairro Luzia (próximo ao terminal “Dia”)

Dias 01, 02 03 de abril

Amazonas

Local da doação: Catedral Av. Constantino Nery 1515, Bairro São Geraldo

Dia 04/04 das 8h às 17h

Maranhão

Local da doação: Rua OSwaldo Cruz, 1600, Canto fabril

Dias 8 e 9 de abril das 9h às 17h

Tocantins

Local da doação:Av. NS 01, Q. 101 NORTE – Plano Diretor Norte, Palmas – TO

Dias 8 e  9 de abril das 7 às 12h30

São Paulo – zona sul

Local da doação: Rua Dr. Rubens Gomes Bueno, 236, Santo Amaro

Dias 22, 28, 29 e 30/04 das 9h às 15h

Guarulhos

Local da doação: Rua Paulo Faccine, 705

Dias 22,23,24/04 das 9h às 13h

Veja também a galeria de fotos sobre o primeiro dia de doação na capital paulista.

  • Núbia Onara / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro