Rede aleluia
Distúrbio de falar enquanto dorme está associado à falta de sono e pode indicar problema de saúde
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 23 de Janeiro de 2023 - 20:59


Distúrbio de falar enquanto dorme está associado à falta de sono e pode indicar problema de saúde

Duas a cada três pessoas murmuram durante o repouso; casos mais graves incluem gritos e exigem acompanhamento de médicos

Distúrbio de falar enquanto dorme está associado à falta de sono e pode indicar problema de saúde

ato de falar ou criar diálogos durante o sono pode até parecer engraçado, mas as longas conversas inconscientes que algumas pessoas travam ao longo da noite ainda intrigam os pesquisadores e podem até indicar um problema mais grave de saúde. O alerta é da cientista do sono Theresa Schnorbach em entrevista ao diário britânico The Mirror.

O que você precisa saber:

Apesar de dormir ao lado de um tagarela ser até irritante, a ocorrência é muito comum e quase nunca é um problema médico. Duas a cada três pessoas no mundo conversam enquanto dormem, indica a pesquisadora.

Esse distúrbio é conhecido oficialmente como sonilóquio, sendo que falar durante o sono é um tipo de parassonia — ou atividade anormal do sono. “Geralmente é inofensivo, mas pode indicar um distúrbio do sono ou problema de saúde mais significativo”, afirma Schnorbach.

A tagarelice durante o repouso pode acontecer no sono REM, mais profundo, e no não REM e varia de pequenos murmúrios até discussões inteiras sem lembrança depois que a pessoa acorda. “Normalmente, falar durante o sono durante os primeiros estágios não REM pode ser mais fácil de entender, enquanto durante o estágio posterior do sono não REM e REM, a fala durante o sono pode soar mais como gemidos”, explica.

“As origens de falar durante o sono continuam sendo uma fonte de discórdia entre as pesquisas  científicas e podem estar relacionadas a eventos recentes na vida do dorminhoco ou vinculadas à atividade dos sonhos”, diz.

O que analisar:

A ciência ainda tenta determinar com maior exatidão, mas as pesquisas disponíveis mostram que falar durante o sono está associado à falta de sono. Colabora para isso um ambiente de sono perturbador, como temperatura ambiente ou muita luz entrando no quarto.

“Os fatores de risco de falar durante o sono incluem estresse, privação de sono e álcool, mas ocorrências isoladas e aleatórias de falar durante o sono raramente são problemáticas”, tranquiliza a especialista.

Conversar enquanto descansa também pode mostrar algum problema da saúde mental. “A saúde mental também pode ter um impacto na fala durante o sono, sendo a condição mais comum em pessoas com problemas de saúde mental subjacentes”, acrescenta.

A cientista disse também que as pessoas que sofrem de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) são mais vulneráveis a falar durante o sono. “Distúrbios do sono, como distúrbio comportamental do sono REM (RBD na sigla em inglês) e terrores noturnos, levam algumas pessoas a gritar durante o sono”, diz a cientista.

“Os terrores do sono, também conhecidos como terrores noturnos, são caracterizados por gritos, contorções e chutes aterrorizantes. É difícil acordar alguém que sofre de terror noturno”, diz.

O que fazer:

Diante de tantas informações, quando procurar um médico? Falar ao dormir pode ser diagnosticado sem qualquer exame. “Falar dormindo não é, normalmente, um fator de preocupação, porém, se começar de repente na idade adulta ou envolver ansiedade, gritaria ou ações violentas, a pessoa deve procurar um médico imediatamente”, finaliza a especialista do sono.

Veja sete dicas para pegar no sono rápido e dormir com qualidade:
  • Mantenha uma rotina: A professora Hadine Joffe, da Divisão de Medicina do Sono da Universidade de Harvard (EUA), explica no site da instituição que o primeiro passo é acordar sempre que possível no mesmo horário, inclusive aos fins de semana. O sol pela manhã também é um aliado, pois ajuda no ajuste do chamado relógio biológico.
  • Pratique atividade física regularmente: De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, os exercícios físicos feitos de maneira regular são fundamentais para melhorar a qualidade do sono à noite. Mas é importante que atividades intensas sejam feitas durante o dia, nunca perto da hora de ir para a cama.
  • Corte a cafeína em determinado horário: A cafeína deve ser cortada a partir do fim da tarde. Isso não vale somente para o cafezinho, mas também para alguns chás, bebidas energéticas e até mesmo chocolate. Essa é uma substância estimulante, que pode permanecer por várias horas no organismo e mandar embora aquele sono natural.
  • Também corte o álcool: Bebidas alcoólicas, embora possam causar sonolência, fazem com que você tenha um sono de má qualidade, com mais despertares noturnos…
  • Distancie-se das telas: Celular, tablet, televisão… Todos estes dispositivos emitem luz azul, que engana o nosso cérebro e o faz deduzir que ainda é dia. O resultado é que a melatonina — hormônio necessário para nos fazer dormir — não é produzida. Ou seja, sair da frente da TV direto para a cama certamente fará com que você demore muito mais tempo para pegar no sono. O recomendado é ficar longe das telas pelo menos uma hora antes do horário planejado para iniciar o sono.
  • Vá para a cama no mesmo horário: Assim como acordar, a hora de dormir não deve variar muito durante a semana, pois isso ajuda o cérebro a se preparar naturalmente, fazendo com que você sinta sono no momento em que está habituado.
  • Esteja confortável: Uma boa noite de sono exige que você consiga relaxar na cama. Escolha uma roupa leve, assim como lençóis e fronhas, e certifique-se de que a temperatura do quarto não esteja muito elevada — o corpo precisa resfriar para adormecer. Um banho morno antes de se deitar pode ajudar.

Distúrbio de falar enquanto dorme está associado à falta de sono e pode indicar problema de saúde
  • R7 / Foto: istock 


reportar erro