Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 18 de novembro de 2018 - 00:05


Detentos da terceira idade são ajudados no Amapá

Voluntários do grupo UNP realizam oficina de artesanato para eles. Saiba mais

Casinhas feitas de palitos de sorvete, animais esculpidos, reprodução de embarcações, quadros e tudo que a criatividade permitir. É assim que os detentos do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen)) do Amapá otimizam seu tempo.

Cerca de 20 reclusos que estão na fase da terceira idade participam de aulas de artesanato desenvolvidas e ministradas por outros dois detentos. Parte do material usado na produção é reciclado do próprio presídio e parte vem de doações de familiares e dos voluntários do grupo Universal nos Presídios (UNP).
Segundo o Pastor Jesiel Prado, responsável pelo trabalho evangelístico nos presídios no Amapá, poder ajudar os detentos nessa fase da vida é muito gratificante: “é muito bom e importante ver os reclusos dedicando parte do seu tempo para fazer arte. A mente deles fica ocupada e produzindo. Estamos oferecendo o programa de cursos, pois é uma das formas que achamos para ajudar na ressocialização, para qualificá-los e para que, quando receberem a liberdade, estejam preparados para voltar à sociedade de uma forma diferente”.
Trabalho incansável
Há cerca de 15 anos o Amapá recebe a ajuda da UNP dentro dos presídios. Mas, em todo o Brasil e em alguns países, voluntários se dedicam a esse tipo de trabalho há mais de 30 anos e levam uma Palavra de fé àqueles que estão atrás das grades. O UNP também realiza cursos profissionalizantes, mutirões de saúde e jurídico e faz doações aos detidos e seus familiares.
São milhares de voluntários envolvidos nessa missão. Se você também deseja participar, se informe em uma Universal mais próxima de você.


  • Sabrina Marques / Fotos: Cedidas 


reportar erro