Rede aleluia
Detentas aprendem técnicas de corte e costura em Santarém, no estado do Pará
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 23 de julho de 2020 - 14:34


Detentas aprendem técnicas de corte e costura em Santarém, no estado do Pará

Oportunidade visa gerar capacitação e fonte de renda após o término da reclusão. Saiba mais

Detentas aprendem técnicas de corte e costura em Santarém, no estado do Pará

Mulheres com a liberdade interrompida e que estão cumprindo pena no Centro Recuperação Feminino de Santarém (CRFS), pequena cidade do estado do Pará, norte do País, tiveram a oportunidade de iniciar, em junho, o curso de corte e costura em geral, promovido pelo grupo Universal nos Presídios (UNP).

Os encontros têm acontecido às quartas-feiras e cada aula tem a duração média de 2 horas. Além da sociabilização delas, a ação visa dar uma oportunidade de gerar capacitação e fonte de renda, após o término da reclusão. O curso não tem previsão para término, já que se tornou uma atividade essencial dentro da unidade. À medida que algumas turmas vão se formando, outras vão iniciando.

Para o professor do curso, Robson da Silva Trindade, de 31 anos, essa experiência tem sido uma honra para ele e sua esposa Amanda, que também ministra as aulas. “Ensinar a alguém algo que vai mudá-la não tem preço. Nós tiramos esse tempo na semana para dar o curso e o que nós vemos são pessoas empenhadas em aprender. Temos o maior prazer em fazer isso no presídio. Fico muito feliz em poder ajudar de alguma forma uma pessoa a ter uma vida diferente”, disse ele.

Grande oportunidade

Além das técnicas oferecidas às detentas, o grupo já fez a doação de uma máquina de costura à unidade prisional e também insumos para a fabricação de máscaras. E não apenas isso, pois, a cada encontro, os voluntários se preocuparam em oferecer o mais importante: uma mensagem de fé e otimismo para cada uma delas.

“Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes” 1 Coríntios 1:27

Por meio do versículo bíblico em Coríntios, elas puderam entender que Deus não Se esqueceu delas e, por meio do Universal nos Presídios, Ele está dando a oportunidade de mudança, se houver uma entrega de vida verdadeira.

De acordo com Pastor Henrique Pires, responsável pelo grupo UNP no estado, essa oportunidade foi gloriosa. “Acredito que por meio desse curso elas vão ter uma profissão. E o mais importante é que promovemos a oportunidade de levar a Palavra de Deus. Elas estão se entregando para Deus e não há nada mais valioso do que ganhar uma alma para o Senhor Jesus. Percebemos a cada semana a diferença no semblante delas”, salientou ele.

Para saber mais sobre as ações que o grupo Universal nos Presídios promove no País e em todo o mundo, clique aqui.


Detentas aprendem técnicas de corte e costura em Santarém, no estado do Pará
  • Débora Picelli / Fotos: Cedidas pelo grupo Universal nos Presídios Pará 


reportar erro