Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 3 de outubro de 2019 - 12:56


Depressiva, Patrícia diz que queria dormir e não acordar

Conheça o drama dela e saiba como alcançou a cura para esse problema que assola tanta gente

Durante toda a infância, a professora Patrícia Bueno, hoje com 48 anos, conta que foi molestada por um familiar próximo, gerando nela um grande trauma.

Esse sofrimento, por sua vez, trouxe uma série de outros problemas emocionais, como complexo de inferioridade, síndrome do pânico, ansiedade extrema e depressão.

Patrícia, então, começou uma busca interminável por tratamentos. Foi a vários especialistas: psiquiátricas, parapsicólogos, fez diversos tipos de terapia, mas nada adiantava.  Nem sequer, os medicamentos surtiam efeito. “Era como se eu tomasse água com açúcar, não resolvia”, recorda-se.

A fé como única alternativa

“Aquele vazio que eu sentia me dominava de uma forma que comprometeu toda a minha vida. Eu não conseguia mais lecionar por causa do pânico, então, abandonei as aulas e a minha vida se resumia a ficar dentro de um quarto chorando dia e noite. Eu queria dormir e não acordar”, confessa.

Foi o noivo, hoje marido, que – mesmo sabendo que ela odiava a Universal – a convidou para ir à igreja. Ele tinha certeza que lá ela seria curada.

Sem enxergar para si outra alternativa, Patrícia concordou, desde que o noivo a acompanhasse.

“Eu saí daquela reunião com todos os meus problemas ainda, mas saí sem vontade de morrer. Saí com uma esperança. Quando eu cheguei em minha casa, eu não via a hora de chegar outro dia para eu poder voltar”, relata.

Acompanhe o depoimento completo de Patrícia e entenda como ela se livrou da depressão, da síndrome do pânico, dos traumas, e teve a vida completamente transformada:

Se você também tem sido vítima da depressão e está cansada de sofrer e de buscar em tantos lugares a cura para essa dor que sente na alma, procure hoje mesmo uma Universal mais próxima de sua casa.

Se preferir entre em contato com o Pastor Online e peça ajuda. Temos uma equipe pronta para lhe ouvir e lhe dar todo apoio emocional e espiritual de que você precisa.

Às sextas-feiras, ao meio-dia, em todos os templos da Universal, também acontece o Tratamento para cura da depressão, uma reunião voltada especialmente para tratar das pessoas que sofrem com essa doença, que já é considerada o mal do século. Participe!

 

 


  • Jeane Vidal / Reprodução 


reportar erro