Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 28 de fevereiro de 2019 - 10:11


De dentro do ônibus, ela ouviu uma palavra que vinha do coreto do Méier

Conheça a história de Maria Bias e o que aconteceu com ela após esse episódio

Enquanto as jovens de sua idade gostavam de ir ao cinema, ou de passear em praças, ela curtia passeios em cemitérios. Maria Bias, hoje com 72 anos, lembra dos muitos problemas espirituais que vivia. Era atormentada por espíritos, além de sentir dores de cabeça diariamente e sempre no mesmo horário.

Se não bastasse todos estes males, ela tinha visões de coisas ruins que iriam acontecer, e aconteciam. Por consequência, passou a viver com medo, porque se sentia culpada das coisas que aconteciam com as pessoas com quem convivia.

Um fato, porém, mudou completamente a sua vida. Por causa de um problema de saúde da filha, Maria precisava levá-la, diariamente, ao Hospital Central do Exército, na capital do Rio de Janeiro, onde fazia tratamento.

Numa dessas tardes, em uma das paradas de ônibus em frente ao Jardim do Méier, onde ficava localizado um coreto, Maria, de dentro do coletivo, ouviu alguém pregando, o que foi direto ao seu coração e a fez pensar.

Aquelas palavras vinham do Bispo Edir Macedo, na época um jovem pregador fazendo o trabalho evangelístico nesse coreto. Elas a impactaram tanto, que todos os dias ela passou a fazer um tipo de baldeação ali, antes de seguir para o hospital.

Até que um dia, Maria descobriu que aquele pregador tinha aberto uma igreja próxima à sua casa, em uma antiga funerária. Naquele lugar, garante, ela conheceu a Deus.

Quer saber o que aconteceu com Maria, após esse episódio?

Assista ao vídeo abaixo e conheça a sua história na íntegra:


  • Núbia Onara / Foto: Reprodução 


reportar erro