Rede aleluia

Notícias | 2 de abril de 2019 - 00:02


Datas conscientizam população sobre o autismo e a síndrome de Down

Conheça o trabalho da ABADS, especializada no atendimento e apoio a crianças e jovens portadores de deficiência intelectual e autismo

Dois de abril, o Dia Mundial do Autismo. Essa data é celebrada poucos dias após o Dia Internacional da Síndrome de Down, que acontece em 21 de março. Ambas as datas escolhidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para conscientização das pessoas.

O autismo é uma condição psiquiátrica que influencia o desenvolvimento cerebral das pessoas. Existem vários níveis diferentes desse transtorno de desenvolvimento, inclusive alguns em que a pessoa sequer apresenta atraso mental.

Já a síndrome de Down é uma alteração genética no cromossomo 21. Geralmente, existem dois cromossomos desses em cada pessoa. No caso de quem tem a síndrome, há um exemplar a mais.

Ambos os casos não impedem de maneira alguma a vida em sociedade dessas pessoas. Por isso, os 193 países membros da ONU se preocupam em celebrar o Dia Mundial do Autismo e o Dia Internacional da Síndrome de Down. É uma maneira de ar visibilidade ao tema e combater o preconceito, que é fruto do desconhecimento.

Trabalho social da ABADS

A Associação Brasileira de Assistência e Desenvolvimento Social (ABADS) é uma entidade sem fins lucrativos, especializada no atendimento e apoio a crianças e jovens portadores de deficiência intelectual e autismo. Assim sendo, a associação respeita as características de cada indivíduo e trabalha com atividades e ações que promovam e garantam o bem-estar e a inclusão.

Na instituição os membros e seus familiares recebem apoio em questões de saúde, educação, cultura e até mesmo inclusão profissional.

Em dezembro de 2018, por exemplo, 18 alunos se formaram no 5º ano do Ensino Fundamental I, curso oferecido pela própria ABADS. Na ocasião, Rose Amorim, presidente da associação, declarou ao Portal Universal.org:

“Tenho uma alegria muito grande, pois todos os profissionais e voluntários envolvidos de alguma forma estão participando da formação de uma sociedade mais inclusiva. E isso não é apenas um discurso. É um fato. Pois recebemos pessoas de todas as classes sociais, necessitando de todo tipo de terapia. Orientamos o indivíduo e toda a sua família. Trabalhamos para empoderar as famílias a levar adiante os seus filhos. Damos a eles condições de estudar, ter vida social e até mesmo o poder de escolha. Além de trabalhar e ser um cidadão do bem e ter dignidade. Isso nos traz a sensação de dever cumprido”, disse.

Quer aprender mais sobre o autismo e sobre a síndrome de Down. Então, clique aqui e siga a página da ABADS no Facebook!


  • Andre Batista / Imagem: iStock 


reportar erro