Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de novembro de 2018 - 00:05


Cuidados com a pele aos 30 anos

Algumas precauções básicas podem pôr fim a pesadelos femininos que surgem com a idade

Quando o relógio que marca a idade da mulher migra dos 29 para os 30 anos o fato pode parecer com um filme de terror para muitas. Afinal, dizem que é dos 30 em diante que se percebe que o metabolismo diminui seu ritmo e que o envelhecimento da pele e o surgimento das temidas linhas de expressão e rugas começam a aparecer sem-cerimônia (surgem sem avisar nem pedir licença).
De forma geral, o envelhecimento cutâneo, que se torna uma espécie de bicho-papão para as mulheres dessa faixa etária em diante, vem com a perda da elasticidade, a desaceleração do metabolismo e da replicação de tecidos. Junte a isso as oxidações naturais do organismo (daí o surgimento dos radicais livres, espécie de vilões quando o assunto é envelhecimento) e a queda na produção de colágeno, que explica o aparecimento das linhas de expressão e flacidez.
É verdade que temos um mecanismo de defesa natural, mas, com o tempo, a capacidade protetora diminui.
Mas fique tranquila. Cuidar do rosto é mais fácil do que se imagina e nem será preciso entupir a nécessaire de cremes anti-idade. Vamos dar orientações a você.
Primeiro passo
Comece com a higienização do rosto diariamente. Apesar de existir uma enxurrada de produtos voltados para a limpeza, um sabonete específico é indispensável, orienta Betina Stefanello, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Ela lembra que é ele que tira toda a poluição acumulada na região.
Os esfoliantes também são bons aliados, mas o uso deve ser limitado a duas vezes por semana para que não cause microtraumas na barreira cutânea. Outro item que também não pode faltar é o uso diário do protetor solar. Não saia de casa sem ele. Confira mais dicas nos quadros.
Cuidados extras
Sempre é bom lembrar que uma alimentação equilibrada é um bom reforço. Inclua no cardápio alimentos ricos em vitaminas A (presente na cenoura, mamão, etc.), E (encontrada em óleos e azeites e oleaginosas, como castanhas e nozes), C (na laranja, por exemplo) e em minerais, como selênio (castanha do Pará) e zinco (carnes), que são potentes antioxidantes.
E depois?
A sustentação da pele é feita com cremes à base de ativos específicos. A especialista sugere compostos com ácidos, já que eles promovem a renovação celular e a estimulação de colágeno, como o ácido retinóico. O destaque atual é o sérum com ácido hialurônico, que auxilia na redensificação das rugas e ajuda a atenuá-las. Também são indicados antioxidantes e renovadores celulares.
Hidratante nela
Dê adeus à preguiça de usar hidratante. É ele que dá suporte na hora de refazer a barreira cutânea, camada superficial da pele entre o meio externo e o interno. “É importante estar hidratada para que bactérias e fungos não entrem e para que não ocorram lesões e inflamações na pele”, diz Betina Stefanello. “Essa barreira é imunológica, física, mecânica e biológica”, orienta a especialista. Outro cuidado que as mulheres na casa dos 30 devem ter é com o uso de um creme específico para a área dos olhos, pois se trata de uma região supersensível, lembra Betina.
Antirrugas? Ainda não
Se as orientações citadas acima forem colocadas em prática, não é preciso se preocupar em usar creme com função antirrugas nesta fase, diz Betina Stefanello. “Nessa idade, não indicaria começar a usar creme antirrugas redensificador (que ajuda a revitalizar e firmar a densidade da pele)”, avalia.
Porção de Vitamina C
Quando se fala em cremes e séruns com ação antioxidante, que inibem a ação dos radicais livres, é comum lembrarmos de compostos que tenham vitamina C. Ela, além de ser uma barreira contra a oxidação, também tem uma ação potencializadora do protetor solar, menciona a dermatologista Betina Stefanello.


  • Flavia Francellino / Foto: Fotolia 


reportar erro