Rede aleluia
COVID-19: Anvisa autoriza teste de Remdesivir no Brasil
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 30 de junho de 2020 - 01:25


COVID-19: Anvisa autoriza teste de Remdesivir no Brasil

Remédio tem demonstrado bons resultados em outros países

COVID-19: Anvisa autoriza teste de Remdesivir no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou a autorização para utilização do remédio experimental Remdesivir em pacientes com pneumonia grave causada pela COVID-19.

O anúncio foi realizado na última quarta-feira (24) e gerou reações positivas de médicos e especialistas.

Isso porque, desde maio, a droga tem sido utilizada com bons resultados nos Estados Unidos. Na China, desde o início da pandemia, também é utilizado o Remdesivir. Foi lá que o primeiro estudo com remédio (originalmente dedicado ao tratamento de ebola) foi realizado. Na ocasião, os pacientes que o receberam se recuperaram em 11 dias, enquanto os que receberam placebo se recuperaram em 15 dias.

No Brasil, um grupo de pacientes voluntários farão parte do estudo. Enquanto alguns receberão o Remdesivir junto ao imunoregulador tocilizumabe, outros receberão placebo.

Caso os resultados sejam positivos, o remédio será recomendado a outros pacientes em estado grave causado pela COVID-19.

Outra boa notícia é que esse será um remédio barato contra a COVID-19. Isso porque, após descobrir que o preço pago pelos clientes seria muito caro, a empresa produtora Gilead Sciences abriu mão da patente. Isso significa que todas as companhias farmacêuticas poderão produzir sem pagar direitos industriais. O que barateia o preço final ao enfermo.

Outra boa notícia divulgada nessa semana foi o acordo entre Brasil e Oxford para que o País passe a produzir a vacina contra COVID-19 já em dezembro de 2020. Clique aqui e saiba mais sobre o assunto.


COVID-19: Anvisa autoriza teste de Remdesivir no Brasil
  • Andre Batista / Foto: Getty Images 


reportar erro