Rede aleluia

Notícias | 12 de junho de 2019 - 11:34


Conheça os três tipos de batismo

Entenda quais são eles e o que cada um significa

O batismo é uma das coisas que os recém-convertidos ouvem falar quando chegam à igreja. Ele marca uma etapa importante de vida do cristão. Contudo, nem todos sabem que há três tipos de batismo.

São eles: batismo nas águas, batismo com o Espírito Santo e batismo de fogo. Sobre os tipos de batismos, o Bispo Renato Cardoso, em uma de suas reuniões, no Templo de Salomão, esclareceu as diferenças e em quais momentos da vida cristã eles acontecem.

Batismo nas águas

Para ele, o batismo nas águas marca o arrependimento. Isto é, a pessoa reconhece seus pecados e decide, de livre e espontânea vontade, se entregar a Jesus, se arrependendo do que havia cometido anteriormente.

“Arrependimento não é sentimento, mas uma decisão. O batismo nas águas significa que você reconhece que precisa mudar. Que precisa abandonar as mentiras, os maus olhos, a mágoa e todas as coisas que tem consciência que seja pecado e decide mudar”, esclareceu o Bispo.

Ele ainda explicou que, por não se arrepender de seus pecados, muitas pessoas apenas entram na piscina, mas não são, verdadeiramente, batizadas. “Não foi batizada porque não se arrependeu. Não mudou ou tomou uma decisão emotiva. Se você não abandonou os pecados, seu batismo nas águas ainda não aconteceu. Você precisa repensar sua vida e decidir se, de fato, quer levar a fé a sério”, pontuou ele. 

batismo com o Espírito Santo

Batismo com o Espírito Santo

Após esse arrependimento e entrega, a pessoa que realmente mudou seu comportamento, então, recebe o batismo com o Espírito Santo. “Significa confirmação de Deus de que Ele viu que sua mudança foi sincera, real e verdadeira. Você decidiu mudar e realmente mudou. Em reconhecimento a essa mudança, Ele confirma dando a você o Espírito Santo, que é o selo de Deus”, ensinou o Bispo.

Batismo de fogo

Em contrapartida, após receber o Espírito de Deus, o cristão não deve achar que tudo serão flores. Pelo contrário, após o recebimento do Espírito Santo, ele passa pelo batismo de fogo. “O batismo de fogo é uma espécie de prova da nossa fé, para que nada fique na teoria”, reiterou o Bispo.

Para exemplificar, o Bispo utilizou o exemplo de Jó, descrito na Bíblia. Ele era um homem reto, íntegro e temente a Deus (Jó 1:8). Contudo, mesmo assim, Satanás ainda disse a Deus que se Ele tirasse tudo o que Jó tinha, ele blasfemaria contra Deus (Jó 1:11).

“Ele perdeu tudo em sete meses. Ele passou no teste. Ele não blasfemou. O batismo de fogo é você passar por provas da fé para que amanhã o diabo não possa te apontar o dedo, porque você tem credenciais da fé que são perseguições. E quando você sai do fogo, você prova que é ouro e que só se purificou”, concluiu o Bispo.

O próprio Senhor Jesus, após ser batizado no rio Jordão por João Batista e selado com o Espírito Santo, foi levado pelo próprio Espírito de Deus ao deserto, como um batismo de fogo.

Veja que mesmo sendo Filho de Deus, Ele precisou passar pelo deserto e, além de tudo, estava sozinho. Muitas vezes as pessoas não entendem por que estão enfrentando problemas e que, aparentemente, parecem sozinhas. Isso acontece porque passar pelo deserto exige que o verdadeiro cristão esteja dependente apenas de Deus para ouvir a Sua voz. São dias difíceis, mas necessários, pois eles aumentam a comunhão com o Altíssimo.

Escola da Fé Inteligente

Se você deseja aprender mais sobre a Palavra de Deus e estreitar sua comunhão com o Altíssimo, então participe todas as quartas-feiras da reunião Escola da Fé Inteligente, que acontece no Templo de Salomão, às 10h, 15h e 20h, ou em uma Universal mais próxima de você. Consulte aqui os endereços.


  • Rafaela Dias / Foto: Getty Image 


reportar erro