Rede aleluia

Notícias | 5 de julho de 2016 - 03:05


Compartilhando o pão com o próximo

Ação do grupo T-Ayudo da Venezuela já beneficiou mais de 10 mil pessoas

A Fundação T-Ayudo na Venezuela, braço assistencial da Universal, vem realizando ações em prol das comunidades mais carentes do país. Semanalmente, um grupo de voluntários visita uma instituição de inclusão social, que atende pessoas de todas as idades, e realiza um grande almoço.

Essa ação chamada de “Compartilhando o pão” (Compartiendo el Pan), recentemente beneficiou milhares de pessoas dos Centros de Inclusão Social da Instituição Negra Hipólita, e também a Instituição Refúgio, para crianças e adolescentes, todos localizados em Caracas (capital do país).

O objetivo da ação é levar atenção, amor e uma palavra de ânimo para as pessoas que, por exemplo, sofreram ou ainda sofrem com o vício, chegando ao ponto da destruição do convívio familiar, e que agora precisam de um incentivo para transformar e recomeçar a vida. “Estou comovido de ver tantas pessoas unidas e se dedicando a esse trabalho de compartilhar com o próximo, e de ver com que amor tratam as pessoas que nem mesmo conhecem”, diz Daniel Serrano, de 36 anos, vice-diretor da Instituição Negra Hipólita.

Veja abaixo vídeo de uma das ações que aconteceu no mês de junho desse ano:

Cerca de 300 voluntários, coordenados pelo pastor Marcelo Glinsky, responsável do grupo T-Ayudo, têm levado, toda semana, além do alimento físico, apoio espiritual a essas pessoas, por meio de orientações, entrega de livros e de orações.

Mais de 10 mil pessoas já foram beneficiadas com essa ação. “Os responsáveis das instituições são muito gratos. Eles reconhecem que, depois das visitas, muitos internos que se sentiam abandonados, passam a se sentir valorizados, pois sabem que ainda existem pessoas preocupadas com o bem-estar deles”, destaca o pastor Marcelo Glinsky.

Emilio Diaz, de 28 anos, afirma que a visita é muito bem-vinda. “Com a chegada do grupo T-Ayudo, recebi o apoio, o carinho e o afeto que não recebo nem da minha família. Espero que continuem sempre com esse trabalho.”

Para Larry Pérez, de 32 anos, o trabalho que realizam com eles fortalece a vontade dos internos para mudar de vida. “Sinto-me muito contente com a presença deles, porque vieram compartilhar conosco e porque nos dão forças para seguir adiante.”

Quer conhecer mais sobre o trabalho do grupo T-Ayudo nos países latino-americanos? Clique aqui e acompanhe as ações que têm sido realizadas em diversos países como Argentina, Paraguai e Venezuela.


  • Da Redação / Fotos: Reprodução 



reportar erro