Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de janeiro de 2020 - 00:05


Como lidar com a tpm?

Veja como identificar e tratar o problema, presente na vida de muitas mulheres

A tensão pré-menstrual, mais conhecida pela sigla TPM, geralmente é associada a um conjunto de sintomas que atrapalha a vida de muitas mulheres dias antes da menstruação. Segundo o Ministério da Saúde, 80% delas sofrem com este problema.

Há quem pense que TPM seja frescura. Nestes dias, normalmente as pessoas percebem o humor diferente das mulheres e logo fazem a pergunta, em tom de brincadeira: “está nervosinha por que está de TPM?”

Contudo, se você passa por isso, sabe muito bem como é complicado lidar com esse período. Na verdade, todos os sintomas estão diretamente relacionados com a queda da produção dos hormônios femininos estrogênio e progesterona, que ocorre nesta fase.

Síndrome
A ginecologista Julia Barbi Melim Marques aponta que, atualmente, a TPM é denominada de síndrome pré-menstrual (SPM). Ela é caracterizada por sintomas como depressão, raiva, irritabilidade, ansiedade, confusão e labilidade emocional – que corresponde à variação nas emoções ao longo do dia. No aspecto físico podem ocorrer dor nas mamas, distensão abdominal, dor de cabeça e inchaço nas pernas.

Há algumas doenças que podem ocasionar sintomas semelhantes aos da SPM. Contudo eles costumam durar o mês todo, como distúrbios de tireoide e transtornos de ansiedade, por exemplo. Por isso, é necessário procurar o médico para que ele faça o diagnóstico.

A médica ressalta que a característica mais importante que diferencia a TPM de outros problemas de saúde é se os sintomas estão presentes durante cinco dias que antecedem a menstruação e se há um alívio com o início da menstruação, normalmente em até quatro dias. “Há recorrência desses sintomas em outros ciclos menstruais e não nos outros períodos do mês”, observa.

Tratamento
A especialista aponta que entre os fatores de risco comprovados para o desenvolvimento da síndrome pré-menstrual estão tabagismo, transtornos de ansiedade e histórico de eventos traumáticos. Ela explica que pelo fato de a SPM (ou TPM) trazer prejuízo na qualidade de vida da mulher é recomendável que ela busque tratamento. Segundo ela, há vários disponíveis. “Nós, mulheres, devemos parar de tratar os distúrbios menstruais como se fosse algo normal e achar que ‘isso faz parte de ser mulher’. Se há sintomas ou se algo a estiver incomodando, a mulher deve buscar ajuda especializada e não ficar tentando lidar com isso sozinha.”

Portanto, se você sofre neste período, procure um ginecologista de confiança para falar sobre o assunto e identificar a melhor forma de tratamento. “Você não precisa sofrer sempre na fase da menstruação. Busque ajuda e sinta-se bem consigo mesma e com seu corpo”, finaliza Julia.


  • Maiara Máximo / Foto: Getty Images 


reportar erro