Rede aleluia
Como a sua força se traduz na sua voz
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de Agosto de 2021 - 00:05


Como a sua força se traduz na sua voz

Saiba como usá-la e como ela pode auxiliá-lo em todas as situações da sua vida

Como a sua força se traduz na sua voz

A voz do homem sempre foi importante em sua trajetória. Ela reflete também aspectos de sua liderança e afeta ainda quem está à sua volta. O tom, a autoridade, o que é dito e o seu significado são determinantes para que o homem seja ouvido, compreendido e até seguido.

Os tempos em que vivemos têm demonstrado, cada vez mais, que usar a voz com inteligência é sinônimo de sucesso.

Isso pode ser notado até quando o homem fala com uma criança. O que um pai ensina ao filho é muito mais facilmente aprendido quando o tom não é alto, demonstrando que o pai está ali para ajudar o filho em seu crescimento. A criança ouve e aprende, pois confia em algo que soa mais como uma orientação do que uma ordem. É com essa atitude que se estabelece a autoridade. O resultado é que o filho confia no pai e vice-versa.

O grito já não funciona mais como antigamente e é um expediente em desuso, salvo quando usado como um sinal de alerta contra um perigo iminente que pode atingir outra pessoa, por exemplo. Por outro lado, o grito quase nunca ensina nada. Ao contrário, alimenta sentimentos de ódio e repulsa que não são salutares, além de ser praticamente um sinônimo de destemperança e descontrole, contribuindo quase sempre para aumentar um conflito já existente.

Na relação com a esposa, por exemplo, o grito também pode quebrar o elo de confiança que deve existir entre o casal, desembocando muitas vezes em agressões mútuas. O que, erroneamente, para muitos homens pode ser um sinal de valentia, é na verdade de covardia.

Um homem jamais deveria gritar com uma mulher. O diálogo, sempre pautado pela temperança e o argumento bem construído, traz harmonia ao casal e transforma a conversa em uma via de mão dupla, em que há espaço para que os dois possam falar e escutar, cada um a seu tempo.

No aspecto profissional a voz do homem também deve encontrar espaço, mas trata-se de uma construção. Mais uma vez, o grito não é a tônica e o homem deve se fazer ouvir por estar preparado para falar e porque é um profissional que tem conteúdo e sua palavra deve ser levada em consideração. Para chegar a esse patamar, deve haver preparação profissional, estudo e até a organização mental para saber se colocar nas mais diversas situações e para saber o que precisa ser dito no momento certo.

A grande verdade é que muitos homens são imaturos para ter essa compreensão. Para eles, o caminho mais fácil é o grito. O problema é que quem grita não pondera com ninguém e não é capaz de silenciar mesmo quando percebe que está errado e não tem humildade suficiente para admitir. Ao contrário disso, o homem maduro tem empatia e é sociável. Ele aceita as pessoas sem tentar corrigi-las ou mudá-las, se doa sem esperar nada em troca e costuma lidar bem com as críticas, sem se colocar na defensiva.

Para alcançar esse patamar de maturidade e saber controlar a sua voz e o que profere, o homem necessita ter uma relação com Deus.

Assim como um pai fala ao filho, com calma e com autoridade, Deus fala com o homem e o orienta. Essa sabedoria passada de pai para filho pode e deve ser usada em sua vida na relação com seus filhos e com sua mulher, em sua atividade profissional e também para o seu crescimento espiritual. O resultado pode ser notado na voz de quem tem Deus. Nosso convite é para que você conheça a Deus e comprove isso. Você é capaz?


Como a sua força se traduz na sua voz
  • Eduardo Prestes Foto: Getty Images 


reportar erro