Rede aleluia
China e Rússia se unem para provocar Estados Unidos e Japão
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 21 de Outubro de 2021 - 17:40


China e Rússia se unem para provocar Estados Unidos e Japão

O comportamento das nações também pode ser um sinal que aponta para os fim dos tempos

China e Rússia se unem para provocar Estados Unidos e Japão

Na última segunda-feira, 18 de outubro, uma cena inédita foi vista envolvendo dez navios das marinhas da China e Rússia provocando o Japão e os Estados Unidos. 

Os navios atravessaram, sem aviso, o estreito que separa duas das principais ilhas japonesas. O episódio ocorreu após exercícios navais feitos pela China e Rússia no mar do Japão, que vem ocorrendo há dois anos. Após as manobras, cinco destróieres chineses e cinco russos se desgarraram da esquadra. 

Eles passaram pelo estreito de Tsugaru até chegar ao oceano Pacífico. O estreito por onde passaram os navios separa as ilhas de Honshu e Hokkaido. Honshu é a maior e mais populosa ilha do Japão, onde está localizada a capital, Tóquio.

O governo Japonês tem criticado a ação dos dois países e já afirmou que tem observado de perto a atuação chinesa e russa na região. A tensão também acontece por causa da dura posição do primeiro-ministro do Japão, contra a China e a aliança do país com os Estados Unidos.

Recentemente o presidente americano Joe Biden encorpou o Quad, grupo que une Japão, Índia e Austrália aos Estados Unidos. 

A China tem investido em armas hipersônicas assustadoras, inclusive, para os Estados Unidos. Ned Price, porta-voz do Departamento de Estado do país norte-americano, afirmou que os chineses aumentaram a capacidade com mais de 250 testes de mísseis balísticos desde o início do ano.

Fim dos Tempos

A apreensão é que uma nova guerra surja envolvendo os dois países, que possuem grande poderes bélicos. 

O cenário, no entanto, também é um sinal aos cristãos sobre a volta do Senhor Jesus e o fim dos tempos. O Senhor Jesus já havia alertado sobre os sinais que precederiam sua volta. Um deles são as guerras e rumores de guerra. Veja a seguir:

“Levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino; haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais do céu.” Lucas 21.10-11.

“Este sinal não se referia apenas às guerras que iriam acontecer nos anos seguintes em Israel, quando Jerusalém seria destruída, mas às que ocorreriam ao longo dos séculos entre reinos e nações. O mundo já passou por terríveis guerras que destruíram cidades inteiras e ceifaram a vida de milhões de pessoas. Mas esses conflitos não acabaram”, esclareceu o Bispo Edir Macedo, em seu comentário na Bíblia em comemoração aos 40 anos da Universal.

Em seu livro “A Terra Vai Pegar Fogo”, o Bispo Renato Cardoso ainda explica que, após a vinda do Senhor Jesus para arrebatar Sua Igreja, o mundo provará de coisas jamais imagináveis, inclusive, guerras. 

“Todas as guerras que este planeta já viu foram um ‘ensaio’ para esse período. O desenvolvimento tecnológico tem equipado o mundo com sistemas capazes de uma destruição jamais vista. Grandes potências como China, Rússia e Estados Unidos investem alta inteligência artificial para ampliar seu potencial bélico”, afirma.

Por isso, o Bispo Renato recomenda que o ser humano pague, agora, o preço pela salvação.

“Não é melhor vencer uma guerra espiritual que travamos agora contra o diabo, o mundo e a nossa carne, do que nos encontrarmos no meio de uma guerra física e sangrenta, sem poder nem sequer contar com Espírito Santo?”, alerta o Bispo.

A Terra Vai Pegar Fogo

O livro “A Terra vai pegar fogo” revela o que vai acontecer com o planeta terra para estar preparado para o que está por vir. 

Nas mais de 300 páginas, o Bispo Renato Cardoso mostra, baseado na Bíblia, em acontecimentos recentes e na ciência, como o mundo acabará.

Adquira um exemplar nas melhores livrarias do País, ou, se preferir, adquira pelo Arca Center, clicando aqui. 


China e Rússia se unem para provocar Estados Unidos e Japão
  • Rafaela Dias / Foto: Reprodução 


reportar erro