Rede aleluia
Caso TVI: mais uma vitória para Universal
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 17 de Setembro de 2021 - 16:36


Caso TVI: mais uma vitória para Universal

Justiça portuguesa considera nula a acusação das jornalistas portuguesas contra a Igreja Universal e a Record TV. Entenda o caso

Caso TVI: mais uma vitória para Universal

Em 2017, a  rede de televisão portuguesa TVI iniciou uma série de reportagens caluniosas contra a Igreja Universal, no país europeu. A falsa acusação era a de que a Igreja promovia adoções ilegais de crianças, na década de 1990.

Contudo, apesar do empenho da emissora em promover uma campanha difamatória contra Bispos e Pastores da Universal, espalhando notícias mentirosas com o intuito de desmoralizar a instituição, a Procuradoria-Geral da República em Portugal não encontrou nenhuma irregularidade no processo, e em maio de 2019, o Ministério Público de Portugal arquivou o inquérito que investigava a falsa acusação.

Na época, a Rede Record de Portugal exibiu uma reportagem desmascarando a farsa da TVI e as falsas acusações das jornalistas da emissora portuguesa Alexandra Borges e Judite França.

Após a exibição da matéria pela Record TV de Portugal, as jornalistas Alexandra Borges e Judite França fizeram uma queixa crime por difamação contra a Igreja Universal e Record TV, exigindo uma indenização.  A alegação era de que a reportagem colocava em cheque o profissionalismo de ambas.

Porém, mais uma vez, a verdade prevaleceu e o Tribunal Judicial de Lisboa considerou nula a acusação por não haver indícios do crime de difamação.

Acompanhe a matéria:

 

 


Caso TVI: mais uma vitória para Universal
  • Redação / Foto: Reprodução 


reportar erro