Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 8 de agosto de 2019 - 10:15


Brasil tem um caso de suicídio a cada 46 minutos

Dados do Ministério da Saúde revelaram 11.433 suicídios, em 2016

Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2016, foram registrados 11.433 suicídios. Em outras palavras, morreu uma pessoa a cada 46 minutos.

Entretanto, como muitos casos não são contabilizados, a diretora da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, acredita que o número não representa o cenário completo do problema.

Além disso, ela acrescentou que as principais vítimas são pessoas na faixa etária entre 15 e 29 anos. Entretanto, aparentemente, homens são mais suscetíveis a esse tipo de morte do que mulheres.

Um sofrimento interior

Vale observar que um suicídio é, geralmente, antecipado por um quadro de depressão. E tanto um, quanto outro, têm a mesma origem: um vazio na alma.

Primeiramente, a pessoa quer preencher o seu interior com pessoas, atividades ou bens materiais, por exemplo. Mas, logo ela percebe que nada disso lhe traz plenitude.

Ela se jogou do carro em alta velocidade

Foi o que aconteceu com Cássia Pais, de 55 anos. Ela foi adotada por um casal e sua mãe biológica não tinha condições de cuidar dela, porque era vítima de depressão.

Na juventude, ela se envolveu com um rapaz violento. “Teve um episódio em que eu havia dito para ele que eu tinha ido para a casa da minha mãe. Ele começou a discutir comigo e a me bater. Então, ele quebrou dois dentes meus da frente de tanto me bater”, recorda-se.

Nesse ínterim, Cássia engravidou. E, de acordo com ela, uma “voz” a fazia desejar intentar contra o filho.

Por causa de todo o sofrimento que sentia, Cássia pensava constantemente em suicídio. “Eu tinha vontade de me matar o tempo todo. Eu ia para a praia e aquela voz falava para eu me jogar no mar, porque eu não servia para nada. Eu já não suportava mais”, conta.

Até que, certo dia, ela se jogou do carro em alta velocidade. Confira o vídeo abaixo e saiba como essa história continua:

Faça o teste

Talvez, assim como Cássia, você também esteja vivendo uma grande tristeza em sua vida. Talvez, você tenha pensamentos de que não tem mais jeito. Mas saiba que há uma saída.

Participe, ainda hoje, de um encontro no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de sua casa e apresente o seu problema para Deus.

Além disso, todas as sextas-feiras, às 10h, meio-dia, 15h e 20h, encontros  especiais acontecem para o combate da depressão, no Templo de Salomão. Participe.


  • Daniel Cruz / Foto: Getty Images 


reportar erro