Rede aleluia
Batismo nas águas, com o Espírito Santo e no fogo: qual a diferença?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 25 de Janeiro de 2018 - 02:05


Batismo nas águas, com o Espírito Santo e no fogo: qual a diferença?

Acompanhe a explicação do bispo Renato Cardoso sobre os três processos

Batismo nas águas, com o Espírito Santo e no fogo: qual a diferença?

Um dos personagens mais marcantes da Bíblia conquistou, como uma espécie de sobrenome, o título de uma das funções que realizou na Obra de Deus: João, o Batista.

Todavia, apesar de ter realizado inúmeros batismos, João sempre deixou claro que seria sucedido por Alguém que realizaria batismos ainda maiores. Em Mateus 3.11, está registrada a explicação que o Batista deu aos fariseus e saduceus que lhe procuravam para serem batizados:

E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas Aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de levar; Ele vos batizará com o Espírito Santo, e com fogo. Mateus 3.11

Durante a Reunião dos Membros da Igreja do Senhor Jesus, acontecida no último dia 10 de janeiro, o bispo Renato Cardoso se dedicou a explicar a diferença entre os três batismos citados por João: o batismo nas águas, o batismo com o Espírito Santo e o batismo no fogo.

Batismo nas águas: o primeiro passo

Entre as três formas de batismo, essa é a primeira. João estava autorizado por Deus a realizar essa etapa no Rio Jordão porque, na verdade, ela dependia apenas da vontade do próprio homem para acontecer.

O bispo Renato Cardoso explica que “o batismo nas águas significa decisão de mudar: Eu reconheço que eu preciso mudar, eu reconheço que há certas coisas na minha vida que eu fazia, que eu fiz e que eu venho fazendo e que eu preciso abandonar”.

Só quem pode tomar essa decisão é o próprio batizado. Não é o pastor, a família, o bispo e nem mesmo Deus, pois Ele deu o livre-arbítrio para cada um decidir por si.

Note que o arrependimento não é uma emoção, mas uma determinação raciocinada. “Arrependimento não é um sentimento, arrependimento é uma decisão de abandonar os seus erros, os seus pecados, abandonar o que você vinha fazendo de errado”, afirma o bispo.

Dessa maneira, o batismo nas águas só acontece quando o homem está certo de que passará a obedecer a Palavra de Deus. Mesmo que ele entre na piscina do batismo, se não fizer o que a Bíblia orienta, ele não terá sido batizado. O batismo só existe quando há a determinação humana em morrer para o mundo e nascer para a vida na fé.

Batismo no Espírito Santo: a aceitação

Uma vez que o batismo nas águas aconteceu, com aquela pessoa verdadeiramente se entregando ao Senhor Jesus, Ele também Se entrega ao batizado.

“O batismo no Espírito Santo significa confirmação de Deus”, relata o bispo. “Confirmação de que Deus viu que a sua mudança foi sincera, a sua mudança foi real, foi verdadeira, a sua mudança não foi da boca para fora. Você decidiu mudar e você mudou. Você decidiu obedecer e está obedecendo. Você mudou honestamente. Então, em reconhecimento a essa mudança sincera e verdadeira, Ele confirma a sua mudança dando a você o Espírito Santo, que é o selo de Deus.”

A partir desse momento, o homem é capaz de ouvir as orientações de Deus com mais clareza. Ele sabe que todos obstáculos podem ser vencidos quando a fé é utilizada e já não teme o que o mundo pode lhe oferecer de problemas.

Batismo no fogo: a prova

Quando o homem é batizado com o Espírito Santo, ele adquire a certeza descrita acima. Todavia, tudo é apenas teoria enquanto essa fé não é colocada à prova. E esse teste é o que João descreveu como “batismo com fogo”.

“Aqui é aprovação ou reprovação. Ou você vai ser aprovado para coisas maiores ou você vai ser reprovado. O batismo de fogo é uma espécie de prova da nossa fé”, explica o bispo Renato. De acordo com ele, é esse batismo “o que realmente te aprova para coisas grandes ou te reprova, se você não for realmente um artigo genuíno, se você for de uma fé pirata”.

Engana-se, porém, quem acredita que existe apenas um batismo com fogo: “Ele pode acontecer várias vezes ao longo da sua fé. Mas saiba de uma coisa: é Jesus quem batiza, não é o diabo não. Não se esqueça disso: Quando Jesus te batiza com fogo é porque Ele quer te aprovar para coisas maiores.”

Quer mais exemplos de como funcionam os batismos realizados por Deus? Então acesse o Univer Vídeo e assista a reunião completa em que o bispo Renato Cardoso explica essa passagem bíblica.


Batismo nas águas, com o Espírito Santo e no fogo: qual a diferença?
  • Por Andre Batista / Imagem: Universal Ucrânia 


reportar erro