Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 29 de maio de 2020 - 16:46


Aumenta o envolvimento amoroso por meio de aplicativo de encontros durante a pandemia

Saiba quais são os perigos do relacionamento virtual e como lidar com a "carentena" durante esse período de distanciamento social

A quarentena, estabelecida como uma das principais medidas para evitar o contágio do novo coronavírus, tem provocado efeitos diversos de comportamento e em relacionamentos. Em isolamento, muitas pessoas passaram a usar ainda mais a internet e as redes sociais. Muitos para trabalho remoto, fins educacionais ou mesmo para manter contato com amigos e familiares. Enquanto alguns, além de fazer um uso excessivo das telas, para compensar a sensação de isolamento e carência, ainda estão se conectando mais aos aplicativos de encontros.

Tanto que recentemente, em uma declaração à BBC News, o executivo do Tinder, Elie Seidman, disse que a pandemia teve um efeito “dramático” na maneira como as pessoas usam o aplicativo. Segundo ele, houve mudança nas métricas de comportamento que normalmente são estáveis. O envolvimento dos usuários aumentou muito. Em apenas um dia (29 de março último) foram computados no Tinder 3 bilhões de matches (termo usado para apontar quando houve interesse mútuo entre dois usuários). O máximo que o aplicativo já registrou em um único dia.

Perigos dos relacionamentos na internet

Hoje, com a pandemia, o nível de carência aumentou, principalmente entre os solteiros. E, as relações virtuais ganharam mais espaço com a facilidade de encontrar um amor virtual por meio de aplicativos de relacionamento no celular.

Contudo, ao mesmo tempo que essas ferramentas aproximam num primeiro momento, elas também podem impedir que a pessoa viva algo real.

“Quando está em um relacionamento virtual, o interessado escreve muitas coisas, fala de sua história e muitas vezes engana. A impressão é até de que a conversa é melhor do que se fosse pessoalmente. Na internet, ele escreve somente aquilo que deseja que os outros pensem dele. Ele quer impressionar e falar o que o outro deseja ouvir. Nunca me esqueço de um rapaz que foi ao programa Escola do Amor e contou que dizia apenas as coisas que as mulheres desejavam ouvir. Ele enganava várias mulheres e este é o perigo da internet”, relata a apresentadora Cristiane Cardoso, autora dos livros “Namoro Blindado” e “Casamento Blindado”.

É preciso investir tempo

Um relacionamento amoroso confiável e duradouro exige paciência e dedicação, para que, assim, o casal tenha conhecimento um do outro – o que nem sempre o mundo virtual permite. “A internet é uma ferramenta muito útil e até tem ajudado a aproximar pessoas que acabaram se conhecendo e depois deram início a um relacionamento. Mas seu uso exige cuidado, principalmente quando alguém faz contato com um pretendente a namoro com a intenção de conhecê-lo e está começando do zero, ou seja, não o conheceu no trabalho ou na faculdade.. Então, é preciso investir muito mais tempo para conhecer a pessoa de fato”, explica o autor Renato Cardoso, que apresenta o programa The Love School – Escola do Amor, na Record TV.

Solteiro(a) na “carentena”

Recentemente, o programa The Love School – Escola do Amor abordou o tema “Carentena”, sobre como lidar com a carência na quarentena, assunto que tem assolado muitos solteiros durante esse período de isolamento social. Quer saber mais? Assista abaixo na íntegra ao episódio apresentado pelo casal Carlos e Cíntia Cucato.

Você quer aprender mais sobre como conquistar um amor inteligente? Participe das palestras da Terapia do Amor, todas as quintas-feiras, às 10h, 15h e 20 horas, no Templo de Salomão, em São Paulo. Acompanhe também o programa The Love School – Escola do Amor, que vai ao ar todos os sábados, ao meio-dia, na Record TV.


  • Michele Roza / Fotos: Getty Images 


reportar erro