Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 2 de setembro de 2019 - 10:02


As más consequências da carência afetiva

Na Escola do Amor Responde desta semana, a aluna Mainara diz que seu relacionamento de dois anos terminou pelo fato dela ter traído seu namorado e da relação ter caído na rotina. Os professores Renato e Cristiane Cardoso aconselham a aluna a resolver a situação da melhor forma possível.

MAINARA – Tenho 23 anos e namorava há dois anos. Meu namoro acabou principalmente por conta da acomodação da parte do meu namorado, já que ele não fazia mais nada para me conquistar. O problema é que antes do fim do namoro eu “fiquei” com outra pessoa. Me arrependo profundamente do que fiz. Até contei para o meu namorado que o traí, mas, pelo fato dele não esperar essa atitude da minha parte, ele ficou muito abalado. Pedi perdão a ele e conversamos. Ele disse que me perdoava, mas que precisava de um tempo para que as feridas cicatrizassem. Ocorre que ele é o grande amor da minha vida, eu o amo muito e não quero perdê-lo. Faço tudo para reconquistá-lo. Me deem dicas.

CRISTIANE – Você tem um problema: é uma pessoa muito carente. Quando o seu namorado não estava lhe dando atenção suficiente, você ficou com outra pessoa. Você pode até lhe pedir perdão, dizer a ele que errou, que foi um lapso, mas não pode só pedir perdão. É preciso entender quais motivos a levaram a tomar essa atitude enquanto estava namorando. Você disse que ama o seu namorado, mas culpa a rotina e a acomodação dele pelo fim do namoro. Porém talvez as razões não sejam essas. Na verdade, você quer atenção o tempo todo e alega que o seu namorado não faz o mesmo que fazia no início. Então, você acha que essa situação é o problema e, por isso, pensou que tinha o direito de traí-lo. Você lhe pediu perdão, disse que mudou, mas sua carência vai lhe dar mais problemas futuramente.

RENATO – Pelo desespero que está demonstrando e que é capaz de fazer tudo para tê-lo novamente, é possível perceber que você está mal por dentro. Você não pode colocar outra pessoa e um relacionamento que nem é um casamento acima de você. E, mesmo que fosse um casamento, também não poderia. É exatamente esse tipo de atitude que faz as pessoas se arrependerem depois. Para reconquistar seu namorado, você precisa primeiro curar o que está dentro de você, essa carência que não é de namorado. Você precisa se encontrar para poder estar bem e reconquistar seu namorado. Eu sei que não é o que você quer ouvir, mas é o que deve ser feito.


  • Kaline Tascin / Foto: Getty Images 


reportar erro