Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 14 de maio de 2020 - 14:48


Aprender faz cérebro rejuvenescer até 30 anos

Grupo Calebe proporciona atividades benéficas à saúde. Saiba como participar

Aprender coisas novas pode rejuvenescer o cérebro em até 30 anos. É o que constatou um estudo realizado pela Universidade da Califórnia (EUA) com pessoas que tinham entre 58 e 80 anos de idade.

De acordo com resultados, em apenas seis semanas de aulas e oficinas, os idosos foram capazes de fazer o cérebro funcionar tão bem quanto funcionava quando tinham cerca de 50 anos de idade.

A psicóloga e doutora Rachel Wu, responsável pelo estudo, afirmou ao jornal britânico Daily Mail: “Os participantes tiveram uma melhora de 30 anos nas habilidades cognitivas. E mantiveram essas habilidades enquanto aprendiam diversas novas habilidades”.

De acordo com a psicóloga, aprender coisas novas auxilia cérebros de todas as idades. Dessa maneira, é extremamente recomendado que as pessoas sigam aprendendo durante a terceira idade.

Entre as atividades recomendadas estão artesanato, fotografia, artes marciais, pintura e idiomas.

“Aprender mais de uma atividade ao mesmo tempo pode proporcionar amplos ganhos cognitivos, semelhantes aos benefícios experimentados no início da vida”, explicou Wu.

Aprenda durante a quarentena!

idoso quarentenaEntendendo a importância de manter o cérebro ativo, o Grupo Calebe segue oferecendo diversas atividades aos idosos, mesmo durante a quarentena. Enquanto não podem sair de casa, as pessoas têm a oportunidade de aprender seguindo as páginas do Instagram e do Facebook do Calebe.

Entre outras atividades, o grupo oferece aulas de alongamento, idiomas, artesanato, culinária e até mesmo de uso de computadores.

“Você sabe por que as atividades cognitivas são tão importantes? Uma das principais funções cognitivas é a memória e, quando exercitamos o cérebro com o jogo dos 7 erros, por exemplo, desenvolvemos habilidades fundamentais para o bom desempenho da mente”, conforme explica a página do grupo com uma imagem da atividade.

O Calebe também está incentivando a interação virtual entre os participantes. Todas as semanas, por exemplo, é realizado um “desafio” – atividades como postar foto e falar sobre os pets ou ler um livro, por exemplo.

quarentena idososA ideia é que os participantes se animem a utilizar as redes sociais, aprendendo novas habilidades, e compartilhando as experiências com outras pessoas.

O coordenador do Calebe, Bispo Antônio Santana, explica que “as redes sociais são de grande importância neste momento em que não podemos nos reunir fisicamente”.

De acordo com ele, “podemos usar da tecnologia para continuar fazendo nossas atividades, incentivando a leitura da Bíblia e entretendo através de desafios, como o que fizemos onde os Calebes registravam uma foto com seus mascotes. Tudo isso para manter o grupo em atividade, no aguardo para podermos nos reunir novamente nos templos e eventos da igreja”.

Para ter acesso a tudo isso basta seguir as páginas do grupo nas redes sociais.

Se você prefere utilizar o Instagram, clique aqui.

Se gosta mais do Facebook, clique aqui.

Participe!


  • Andre Batista / Foto: Imagem 


reportar erro