Rede aleluia
“Antes eu aliciava mulheres, hoje eu ganho almas para o Reino de Deus”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 23 de Abril de 2021 - 22:38


“Antes eu aliciava mulheres, hoje eu ganho almas para o Reino de Deus”

Ex-cafetina tem a vida transformada pela fé. Saiba mais

“Antes eu aliciava mulheres, hoje eu ganho almas para o Reino de Deus”

A ex-cafetina, Gabriela Malafaia, de 20 anos, apesar da pouca idade, vivenciou situações inimagináveis. Segundo conta, ainda criança, ela sofreu abusos por parte de um conhecido da família. Traumatizada com a situação, ela tinha medo de contar para a mãe o que estava acontecendo.

Aos 12 anos, no entanto, ela lembra que conheceu o trabalho da Universal. Junto com a mãe, ela ia à igreja todos os dias e até ajudava nas aulas bíblicas ministradas na EBI (Escola Bíblica Infantil).

Mas, quando chegou à fase da adolescência, tudo o que aprendera sobre a fé, até então, foi deixado de lado. Gabriela saiu de São Paulo e foi morar no Paraná. Lá começou sua carreira como modelo e, também, foi o início de uma vida de prostituição, drogas e doença, conta.

Na ocasião, ela foi diagnosticada com endometriose, uma doença que para a medicina não tem cura, mas pode ser controlada. Depois, doente, sozinha e sem trabalho, Gabriela se aprofundou no mundo da prostituição, e quanto mais se envolvia, mais ganhava dinheiro, até que se tornou uma cafetina. Ou seja, ela passou a aliciar mulheres para a prostituição.

Um dia, porém, uma mãe desesperada entrou em contato com ela, lhe pedindo que não deixasse sua filha – menor de idade – ingressar na prostituição.

Diante da situação, Gabriela se lembrou de quando frequentava a igreja e até ajudava na Obra de Deus, o que a fez repensar na vida e voltar para os braços do Pai.

“Antes eu aliciava mulheres, hoje eu ganho almas para o Reino de Deus”, afirma.

Assista ao testemunho completo da jovem no vídeo abaixo:

ATENÇÃO: desde 18 de abril, devido à nova “fase de transição” das medidas restritivas diante da pandemia, no Estado de São Paulo, as igrejas voltaram a realizar cultos presenciais, com 25% da capacidade. Saiba mais. Confira os horários aqui.


“Antes eu aliciava mulheres, hoje eu ganho almas para o Reino de Deus”
  • Sabrina Marques / Foto: Reprodução 


reportar erro