Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de setembro de 2019 - 13:57


Antes de tudo, cristão

Ator chamou a atenção por atitude que provou sua fé

Cameron Arnett, ator haitiano de nascença e radicado nos Estados Unidos, revelou que por recusar papéis que pediam nudez em cena perdeu trabalhos e chegou a desistir da vocação artística. “Me disseram que, para ser ator, tem que topar cenas de nudez parcial. Então, tive que escolher entre a carreira e o Senhor Jesus”, disse em uma entrevista.

Até então, ele só havia interpretado papéis rápidos em séries de muito sucesso na década de 1980, como Jornada nas Estrelas – A Nova Geração e Miami Vice. Mas eis que chega uma oportunidade que parecia relevante em um filme (ele não cita qual), mas havia uma cena que pedia nudez.

Mesmo depois de lhe oferecerem um dublê de corpo para a cena de nudez, ele recusou o personagem. “Meu mundo caiu. Perdi tudo.

Agentes e amigos sumiram. Fui deixado de lado por tudo e por todos.”

Sem concessões
Nem todos sumiram: sua esposa permaneceu ao seu lado. Ele exerceu outras atividades, mas ela, alguns anos depois, o encorajou a voltar para a frente das câmeras, mas sem fazer concessões que ferissem sua fé e seus valores. Hoje, aos 58 anos, Arnett tem uma lista de mais de 35 papéis em filmes e séries já lançados e em nove ainda em fase de produção, segundo o Internet Movie Database (IMDb), além de dois trabalhos como produtor e um como diretor.

Em seu filme mais recente, Overcomer (“Vencedor”, em tradução livre, ainda sem título em português), ele interpreta Thomas Hill, um cristão deficiente visual que questiona a fé de John, um professor de educação física obrigado a mudar o foco de seu trabalho quando sua cidade entra em recessão econômica. A produção é dos mesmos realizadores de À Prova de Fogo, Desafiando Gigantes e Corajosos, filmes bem conhecidos pelo público cristão brasileiro.

Nem sempre algo que desejamos muito deve ser conquistado na base do custe o que custar, principalmente contrariando nossos princípios. Arnett é cristão e agiu como tal, não aceitou ser o popular crente camaleão: aquele fiel na igreja, mas que fora dela não age de acordo com a fé que professa. A exemplo de Jó, perdeu tudo, como alegou, mas não desistiu da fidelidade a Deus.

Em uma lição de obediência e entrega, o ator abriu mão do que tanto amava para priorizar o Altíssimo em sua vida. Sofreu, obviamente, mas manteve sua decisão até que as portas foram abertas e recebeu de volta justamente aquilo que havia entregado ao Senhor e desta vez em paz com sua fé: “agora posso ser eu mesmo onde estiver, sem comprometer nada”.


  • Marcelo Rangel / Foto: Reprodução 


reportar erro