Rede aleluia
Amor inteligente: a base para a felicidade amorosa
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 12 de Setembro de 2021 - 23:45


Amor inteligente: a base para a felicidade amorosa

Casados há quase 16 anos, Anderson e Erika Silva contam como construíram um relacionamento bem-sucedido

Amor inteligente: a base para a felicidade amorosa

Antes de construir um edifício é necessário preparar a base para que a construção tenha sucesso e não venha a ruir. Esse princípio também vale para quem busca um relacionamento sólido e bem-sucedido. Foi isso que o casal Anderson Silva, de 39 anos, e Erika Silva, de 41 anos, aprendeu ao frequentar as palestras da Terapia do Amor.

Antes de conhecer a esposa, Anderson, que é autônomo, conta que carregava uma “bagagem” de relacionamentos passados e não tinha uma boa perspectiva em relação à vida amorosa. “Antes de chegar à Igreja tive alguns relacionamentos que não deram certo por diversos motivos, como ciúmes, brigas e traições. Depois disso, passei a achar que nunca iria encontrar alguém com quem pudesse ser feliz e constituir uma família”, diz.

Entretanto, ele percebeu que a felicidade amorosa era algo alcançável quando conheceu as palestras da Terapia do Amor. “Entendi que eu precisava me curar primeiro para depois encontrar alguém. O que me chamou muito a atenção foi o fato de que a fidelidade existia, sim, entre um casal, algo que eu não acreditava mais”, enfatiza.

Depois de superar os antigos problemas amorosos, ele conheceu Erika. A professora, diferente dele, havia conhecido a Universal quando era bem jovem e, por isso, não tinha experiências ruins no amor. Ela sabia da importância de fazer a escolha certa e de se preparar para um futuro relacionamento. “Eu teria que encontrar alguém que estivesse na mesma fé que eu, não para ‘ser’ feliz, porque eu já era feliz com Deus, mas encontrar alguém para completar a felicidade a dois”, detalha.

Após um relacionamento de oito meses, eles decidiram buscar a bênção matrimonial no Altar em novembro de 2005. “Foi algo rápido porque colocamos em prática tudo aquilo que aprendemos ao longo desse tempo. Escolhemos a bênção de Deus porque é do Altar que vem a direção para as nossas vidas, é o Altar que nos proporciona uma vida feliz de verdade”, explica Erika.

Essa decisão foi importante para a base do casamento. Anderson destaca que o que receberam há quase 16 anos faz diferença até hoje. “O Altar nos deu uma vida completa e, mesmo em meio às lutas e dificuldades, o Altar nos dá forças para prosseguir e vencer. Sabemos que é do Altar que vem nosso sustento.”

O casal continua praticando o amor inteligente e colhe os frutos da obediência à Palavra de Deus. “Além de um casal, somos amigos, parceiros e confidentes. Hoje podemos falar que a felicidade a dois é possível, sim, desde de que se coloque Deus e o Altar à frente de tudo”, conclui Anderson.


Amor inteligente: a base para a felicidade amorosa
  • Camila Teodoro - Fotos: Getty Images e cedida 


reportar erro