Rede aleluia
A vigília da virada no Templo de Salomão
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de Janeiro de 2022 - 00:05


A vigília da virada no Templo de Salomão

Saiba como foi o encontro que marcou o encerramento do Jejum de Daniel, com o Bispo Edir Macedo direto do monte Hermon, e a chegada do novo ano

A vigília da virada no Templo de Salomão

O Templo de Salomão, em São Paulo, estava de portas abertas no último dia do ano para receber todos os que quiseram iniciar 2022 mais próximos do Altar. A Vigília da Virada começou às 22h, mas às 21h a Esplanada estava preparada para acolher os presentes com o Templo In Concert, uma apresentação do Coral do Templo e da Banda Universos. Houve ainda uma retrospectiva do trabalho social e espiritual feito pela Universal em 2021.

Os casais Rubens, de 68 anos, e Soraia Tavares, (foto abaixo) de 52 anos, e Robson, de 64 anos, e Léia Mendes, de 57 anos, assistiram às apresentações. Para Soraia, a motivação para estar no Templo foi só uma: “buscar a Presença de Deus e sair renovada e cheia do Espírito Santo”. Já Léia relata que passar uma virada de ano no Templo “era um sonho que queria realizar” e que se preparou por mais de dois meses. “Tenho certeza que vamos sair daqui diferentes e com grandes aprendizados. Participamos do tour pelo Jardim Bíblico, que nos trouxe experiências muito gratificantes, e hoje encerramos o ano com chave de ouro. Estou há mais de 25 anos na Universal e na Presença de Deus a cada virada do ano, mas, no Templo, é a primeira vez. Estou certa de que isso vai ficar na história da minha vida”, afirma.

Os autônomos Fernando da Silva Pereira, de 38 anos, e Elivânia dos Santos Vieira, (foto abaixo) de 28 anos, vieram de Barra do Garças (MT). “Só da nossa cidade até Cuiabá encaramos 500 quilômetros, mas a experiência tem sido extraordinária. Não tem como olhar para o Templo e não sentir a Presença de Deus. Começar o ano novo na Presença do Senhor Jesus é uma experiência única. A palavra é gratidão”, conta. Fernando pontua que eles sempre assistem, pelo Univer Vídeo, às reuniões que acontecem no Templo e que “as expectativas para essa Vigília é de começar com o ano com o pé direito, colocando Deus à frente e, pela misericórdia dEle, conseguir vencer durante o ano todo”.

FORÇA NECESSÁRIA
No início da reunião, o Bispo Renato Cardoso disse que a virada e o início de um ano é momento “de muitas esperanças, expectativas, projetos e planos”. Contudo, mais do que mensagens de esperança e otimismo, cada pessoa deve entender o porquê é preciso estar de mãos dadas com Deus: “não só para que você venha a alcançar os projetos que sonha, mas para suportar o que está por vir”. Ele destacou os seguintes versículos: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, (…) cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos (…)”. (2 Timóteo 3.1-5).

Para o Bispo, essa passagem nos alerta “em várias partes sobre o tempo dos últimos dias”. “Quando você olha isso aqui, parece que está assistindo a um noticiário. e, se parar e analisar, 2021 foi pior que 2020, que foi pior que 2019, que foi pior que 2018, e assim está caminhando a Humanidade. Não sou eu que estou falando, você confere na pele, vê isso ao seu redor e nas Escrituras Sagradas. As coisas estão acontecendo de uma forma que fogem à lógica. A solução é você entrar no esconderijo do Altíssimo, ter Aliança, ter uma parceria com Deus; entender que não vai conseguir nada pela força do braço. Não faça do dinheiro seu refúgio, não faça das pessoas sua segurança ou a razão de sua felicidade. Tem gente agora em depressão profunda porque perdeu um amor. Não coloque sua esperança em religião, superstição ou sorte, nada disso vai te sustentar”.

A força necessária para enfrentar os desafios do novo ano está na Palavra de Deus. Por isso, não basta conhecê-La, mas vivê-La, afirma o Bispo: “se você quer ser forte, estar no abrigo do Altíssimo, blindado contra tudo o que vier, guarde a Palavra de Deus e A obedeça. Ela vai te dar força”.

BÊNÇÃO DO HERMON
Perto da meia-noite, o Bispo Edir Macedo, diretamente do monte Hermon, em Israel, conduziu o encerramento do Jejum de Daniel, determinando o derramamento do Espírito Santo. “Quando Ele vem sobre nós, há luz, há vida, há vigor, há paz. O Consolador é o Espírito Santo (João 14.16-18) e Ele está pronto para descer sobre todos os que O invocam com sinceridade. Se agarre a Ele, mantenha-se firme na Fé, porque a cada momento deste novo ano que se inicia Ele estará com você”, disse.

Com a chegada de 2022, foi realizada a Santa Ceia, para que cada um renovasse sua Aliança com Deus.

EXPERIÊNCIAS
Ao final do encontro, o Bispo Renato e sua esposa, Cristiane, professores do The Love School, em clima de descontração, conversaram com os solteiros presentes, mas, antes disso, o Bispo Honorilton Gonçalves e sua esposa, Rosana, que estão em viagem missionária ao Brasil, compartilharam as experiências vividas em Angola. Ele afirmou que “todo cristão vai passar por tribulações, provas, desertos”, mas a tribulação produz o que as conquistas dessa vida não produzem. “É muito bom conquistar, poder glorificar a Deus quando vê o resultado da sua Fé. Porém, o resultado da nossa Fé não pode estar limitado às coisas desta vida, que passam. A tribulação produz os frutos que fazem com que a gente permaneça até o fim e conquiste a vida eterna”, finalizou o Bispo.


A vigília da virada no Templo de Salomão
  • Flavia Francellino / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro