Rede aleluia

Notícias | 19 de setembro de 2018 - 00:05


A verdade sobre a pornografia que não lhe contam

Entenda como esse vício tem destruído ao redor do mundo

Giana Laura Fabi tinha apenas 16 anos de idade quando cometeu suicídio. Karina Saifer Oliveira tinha 15 anos. Já Tiziana Cantone tinha 31 ao tirar a própria vida. O motivo das três mortes foi o mesmo: fotos íntimas vazaram na internet.

Os termos “vazar” ou “cair” na internet são usados quando a pessoa filmada ou fotografada não concede permissão para que o material seja capturado pelo criminoso ou, quando dá a permissão para produzir o conteúdo, porém não permite o compartilhamento dele.

As três pessoas citadas acima são algumas das milhares de vítimas que sofrem tanta pressão por terem “caído na net” que chegam à depressão ou ao suicídio. E, independentemente de terem cometido ou não um erro ao se permitirem fotografar, a culpa também é de quem compartilhou o vídeo e de quem assistiu, pois esse último incentiva o compartilhamento.

Repare que duas dessas vítimas eram menores de idade, como muitas outras também são.

Pornografia: Inimiga da família

Quem assiste e compartilha pornografia nem sempre sabe que o ato traz malefícios comprovados cientificamente tais como:

O homem acaba diminuindo sua capacidade de ter sexo normalmente com a mulher, pois fica condicionado às outras mulheres virtuais;

Não se satisfaz mais apenas com a mulher que tem;

Pode desenvolver dificuldade na ereção se não assistir algo pornográfico, ou até mesmo a disfunção erétil (impotência);

Acaba viciando em masturbação (diminuindo ainda mais seu desempenho com sua mulher);

Pode se aprofundar em pornografia mais pesada para sentir o mesmo efeito;

Objetificação da mulher: quer usá-la como objeto de prazer, às vezes, forçando-a a práticas sexuais agressivas no afã de imitar a pornografia.

Essa é a mesma conclusão a que chegou a Câmara dos Deputados da Flórida (EUA), que decretou a pornografia um risco para a saúde pública do país.

“Nossa pesquisa encontrou uma correlação entre pornografia e os seguintes problemas: doenças mentais e físicas, dificuldade para formar e manter relacionamentos íntimos, desenvolvimento cerebral e função cognitiva insalubre e comportamento sexual depravado, problemático ou perigoso”, afirmou o deputado Ross Spano.

Agora o estado criará formas de conscientização sobre os perigos da pornografia e combaterá seu avanço entre a população.

Já o psiquiatra e psicanalista da Universidade de Yale (EUA) Dr. Jeffrey Satinover publicou recentemente um artigo em que compara a ação da pornografia à da cocaína no cérebro. De acordo com ele, ambos os vícios são destrutivos, alterando as mesmas funções cerebrais e desenvolvendo sintomas semelhantes. A diferença é que a cocaína é algo combatido por quase todos os Governos do mundo, enquanto a pornografia é menosprezada enquanto vício destruidor de pessoas.

Procure ajuda
Marcos Simão e Sônia Simão contaram no programa The Love School- Escola do Amor, da Record TV, como a pornografia quase acabou com o casamento deles. O relacionamento se tornou frio, com discussões constantes e muita humilhação. “Ela me via como uma pessoa suja”, conta Marcos. Confira o depoimento completo:

Se você reconhece que precisa de ajuda para vencer o vício em pornografia, então, compareça a uma Universal. Clique aqui e encontre um endereço mais perto de você.


  • Andre Batista / Imagem: iStock 



reportar erro