Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 8 de julho de 2018 - 03:05


A paixão não foi capaz de impedir as brigas

Maria e Márcio não imaginavam que os desentendimentos entre eles tinha relação com os relacionamentos anteriores

Maria Estelina Lourenço, de 30 anos, e Márcio Ricardo Silva de Sousa, de 35 anos (foto a dir.), não pensaram duas vezes antes de iniciar um relacionamento, logo que se conheceram.

A paixão foi tão arrebatadora que Maria e Márcio, mesmo namorando outra pessoa, decidiram se conhecer melhor, terminar o relacionamento em que estavam e ficar juntos. “Nos conhecemos por meio do irmão dele. Eu e o Márcio estávamos namorando, mas decidimos terminar nosso relacionamento para ficarmos juntos. Namoramos por dez anos e moramos juntos durante sete, mas aquela paixão toda do início do relacionamento não foi capaz de impedir as brigas e o ciúme constante”, conta Maria.

Os problemas entre o casal

Márcio conta que atitudes consideradas bobas eram motivo para grandes discussões. “Se ela dissesse que chegaria em determinado horário e atrasasse alguns minutos, isso já era razão para eu ficar extremamente nervoso e brigarmos muito”, diz.

Ela resolveu buscar ajuda na Universal. “Por causa dos nossos desentendimentos constantes fui em direção a Deus na Igreja, de onde eu estava afastada. Chegando lá, o Pastor me convidou para conhecer a Terapia do Amor. Aceitei por curiosidade e convidei o Márcio para ir comigo.”

Ao frequentarem as palestras, os dois perceberam que as brigas e discussões se davam em razão da insegurança que tinham, por terem iniciado o namoro da forma errada e por tudo o que viveram nos relacionamentos anteriores. “Entendi que, por eu ter sido traída no passado e por ele ter ficado comigo quando ainda namorava outra pessoa, inconscientemente, tinha medo que isso pudesse se repetir e eu fosse traída”, revela Maria.

Depois de resolverem os problemas interiores, eles decidiram oficializar a união diante das pessoas e de Deus. “Já morávamos juntos, mas não tínhamos apresentado nosso casamento a Deus, no Altar. Determinamos que em 2018 nos casaríamos e receberíamos a bênção do Altíssimo. E assim aconteceu. Nos casamos no dia 23 de março no civil e no dia 31 de maio no Altar do Templo de Salomão, na Celebração dos Casamentos”, conta Márcio.

A data foi muito especial para o casal. Hoje eles sabem como agir um com o outro, têm sabedoria para conduzir o relacionamento e estão vivendo um casamento de verdade. “Foi um sonho realizado e, posso dizer, que hoje entendemos a importância do casamento e de cuidar do interior para conseguir viver a vida amorosa da forma que ela deve ser: inteligente e feliz”, finaliza Maria.

Vida amorosa

Para saber mais como resolver os problemas da vida amorosa, participe das palestras da Terapia do Amor, todas às quintas-feiras, em uma Universal mais próxima de você. A cada palestra, casais, noivos, namorados e solteiros aprendem sobre o amor inteligente e como desenvolver o relacionamento a dois.


  • Por Ana Carolina Cury / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro