Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de abril de 2018 - 03:05


A necessidade de aprovação é uma furada para a fé cristã

Não há como agradar a Deus e aos homens ao mesmo tempo

Sentir-se aceito é algo que, em geral, eleva o ego do ser humano. Seja em um grupo de amigos, seja em uma rede social, no trabalho ou entre os familiares, saber que as pessoas admiram você é algo que gera alto nível de satisfação.

Os especialistas são unânimes em afirmar que as pessoas sentem necessidade de serem amadas e aprovadas umas pelas outras. Mas, quando se fala na fé cristã, a orientação é clara:

Porventura, procuro eu, agora, o favor dos homens ou o de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo. Gálatas 1.10

Quem procura agradar aos homens não poderá dizer que é servo de Cristo. Isso porque os verdadeiros cristãos, inevitavelmente, desagradarão a muitos.

Sacrifício e renúncia

Logo depois de conhecer o Senhor Jesus e de decidir se batizar nas águas, as pessoas começam a enfrentar perseguições e questionamentos externos. Sua fé passa a ser testada, seja pelo chefe, que pergunta para o funcionário qual igreja ele frequenta; seja pelos vizinhos, que deixam de conversar porque sentem preconceito. E até mesmo familiares, que passam a criticar a nova postura; ou o cônjuge, que ameaça ir embora de casa.

Enfim são muitos os testes. E, por causa de todos eles, existem muitas pessoas que não aguentam as provações e desistem de agradar a Deus para não desagradar aos homens.

O Bispo Edir Macedo é enfático ao dizer que a Bíblia não prega facilidades. O caminho para quem escolhe seguir a Jesus é de sacrifício e renúncia. “Desagradável àqueles que querem apenas ‘mamão com açúcar’. Muitos ainda procuram o favor dos homens. Acreditam que precisam que a opinião alheia lhes seja favorável. Esperam o ‘tapinha nas costa’, querem consultar os vizinhos e amigos para saber o que acham do que decidiram”, observa.

A realidade é uma só: quem quer obedecer a Deus vai ter de desobedecer ao mundo. Não tem meio-termo, não há como satisfazer a ambos. E, não basta ser assíduo na Igreja, é preciso praticar a Palavra, que quase sempre exige atitudes e posicionamentos que estão na contramão do mundo.

A Bíblia diz que o Senhor Jesus apareceu depois de sua ressureição para mais de 500 pessoas e pregou por 40 dias para que elas esperassem a descida do Espírito Santo em Jerusalém. Só que, no dia de Pentecostes, havia apenas 120 dessas 500 pessoas presentes. “Portanto, nem a metade que viu o Senhor Jesus ressuscitado e que O ouviu falar por 40 dias O obedeceu, deu ouvidos, praticou, etc. Por quê? Porque Jesus foi morto em Jerusalém e estavam perseguindo Seus discípulos e seguidores. Ou seja, estar em Jerusalém era uma ameaça. Era um sacrifício. Eles viviam escondidos, perseguidos por causa da fé. Por que Jesus não prometeu o derramamento do Espírito Santo em outra cidade? Porque não haveria nenhum sacrifício, nenhum esforço. E para receber o Espírito Santo era necessário o sacrifício de estar em Jerusalém”, observa o Bispo Macedo em texto publicado em seu blog.

O que chama atenção é que as mais de 500 pessoas queriam o Espírito Santo, mas não queriam se sacrificar. Assim são as pessoas que querem viver a fé, satisfazer a própria carne e o mundo ao mesmo tempo. Elas pensam: ‘que mal há em fazer isso ou aquilo?’, ‘não posso ser radical’, ‘quero a fé, mas não quero ter que mudar’, e acabam tomando atitudes que não condizem com a vontade de Deus, seja mantendo antigos hábitos, seja frequentando lugares ou falando palavras desagradáveis apenas para fazer parte de um determinado grupo.

Quem é você hoje?

Você pode escolher hoje ser como a maioria e afastar as bênçãos de Deus. Ou pode decidir entrar pela porta estreita, ou seja, resistir às perseguições e, por meio de uma nova atitude, espalhar o perfume de Cristo.

A Salvação é individual, assim como a sua consciência. Por isso, não permita que nenhum estranho dirija sua vida, apenas Deus.

Se você escolher agir como a maioria, para não ser excluído ou para agradar ao mundo, correrá o risco de se decepcionar – afinal de contas, as pessoas erram. Mas quem vive para agradar a Deus jamais se decepciona. “Que você seja livre, converta-se, nasça de novo e receba a sua Glória, que é o batismo com o Espírito Santo. Todas as vezes que levantamos os nossos olhos, Deus nos dá uma direção, pois, ainda que tudo aponte o contrário, Ele guia-nos, já que o Espírito de Deus renova-nos diariamente”, acrescenta o Bispo Macedo.

O medo de não ser aceito desaparece para aqueles que seguem o que a Palavra diz. “Queira o favor de Deus. Favor não apenas para o dia de hoje, mas favor para o futuro. Favor para a eternidade. Quem agrada a Deus, desagrada ao mundo. Quem agrada ao mundo, desagrada a Deus. Não se pode servir a Deus e ao mundo. Ou se ama o mundo ou se ama a Deus. Ou serve ao mundo, ou serve a Deus. Não estranhe se o mundo lhe odeia. Não queira agradá-lo. Sempre haverá separação entre a luz e as trevas. E caberá a cada um decidir de qual lado ficar”, conclui o Bispo.

Então, que tal pedir agora mesmo a Ele forças para vencer o mundo e tudo o que tem afastado você da fé genuína? Seja forte e corajoso, porque, depois da perseguição, vem a vitória. E felizes aqueles que se mantêm fiéis durante a guerra.


  • Por Ana Carolina Cury/ Foto: Fotolia  


reportar erro