Rede aleluia
A influência das bagagens emocionais no casamento
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 6 de Junho de 2021 - 00:05


A influência das bagagens emocionais no casamento

Veja como evitar que as experiências negativas do passado atrapalhem o seu relacionamento

A influência das bagagens emocionais no casamento

Ao longo da nossa vida vivemos experiências que formam as nossas bagagens emocionais. Elas constituem momentos bons e ruins e nos influenciam na condução de nossas vidas. A maneira como lidamos com elas também pode afetar os relacionamentos.

Selma Penteado Ferrari Furlan, de 59 anos, e César Calil Abrão Furlan, de 61 anos, são um exemplo desse tipo de situação. Selma passou por muitas experiências negativas em sua vida. Ela conheceu um rapaz e logo em seguida foi morar com ele. Certo tempo depois, eles se casaram, mas o relacionamento foi conturbado. “Eu passei por muitas situações difíceis nessa relação. Eram muitas brigas, turbulências e desentendimentos que criaram bagagens negativas em mim e acabei levando tudo isso para outros relacionamentos”, conta.

César também sofreu na vida amorosa e isso refletiu em outras áreas. Ele conta que sua ex-esposa era muito depressiva e ele, desesperado, buscava ajuda em centros espíritas. “Nós íamos para o centro e recebíamos os guias lá e em casa também. Conforme o tempo passava e aumentávamos a nossa frequência nessas casas, mais nossa vida piorava”, diz ele.

Certo dia, um amigo de César o convidou para ir à Igreja Universal. Ele passou a buscar a Deus, mas, depois de algum tempo, sua esposa tentou tirar a própria vida, teve um AVC e ficou em coma durante um ano e dois meses. Nesse período, César se manteve na fé e buscou o Senhor Jesus, mas, infelizmente, sua ex-esposa faleceu.

César continuou firme com Deus, ia a todas as reuniões na Igreja, orava e buscava o Espírito Santo. Alguns meses depois de se tornar viúvo, ele conheceu Selma. Eles conversaram, iniciaram um relacionamento, noivaram e se casaram no civil no dia 16 de abril de 2010. Alguns anos depois, em 25 de maio de 2019, eles se casaram na Celebração de Casamentos na Universal de Piracicaba, no interior de São Paulo.

As bagagens amorosas dos dois fizeram com que eles passassem por situações difíceis no casamento. As brigas e os desentendimentos eram frequentes. Eles não conseguiam lidar com as diferenças. Pouco tempo depois, eles conheceram o curso Casamento Blindado e viajaram para São Paulo para fazê-lo.

Quando retornaram para Piracicaba, começaram a participar das palestras da Terapia do Amor. “Começamos a fazer a Terapia, aprendemos como tratar um ao outro, a nos respeitar, a nos compreendermos melhor e praticamos tudo o que nos era ensinado. Levamos as reuniões da Terapia do Amor a sério e as palestras salvaram nosso casamento.

Hoje nosso casamento é abençoado, somos felizes, nos amamos e sabemos que somente Deus é capaz de transformar vidas. Ele transformou as nossas e não foi somente o nosso casamento, mas todas as áreas”, finaliza Selma.


A influência das bagagens emocionais no casamento
  • Kaline Tascin / Foto: Cedida  


reportar erro