Rede aleluia
A hora que vale a pena para os solteiros
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de Outubro de 2021 - 00:05


A hora que vale a pena para os solteiros

Quem está sozinho nunca sabe quando vai conhecer alguém para um relacionamento amoroso. Para facilitar esses encontros, a Universal promoveu mais uma edição da Hora dos Solteiros no dia 30 de setembro

A hora que vale a pena para os solteiros

Só de pensar em encontrar alguém, muitos solteiros e solteiras já sentem um frio na barriga. Enquanto alguns aguardam ansiosos por esse momento, outros se esquivam, seja por terem cometido erros no passado, seja por não entenderem, de fato, o que é o amor.

Por isso, aprender sobre o amor inteligente é um investimento de alta rentabilidade para a vida amorosa. As palestras promovidas pela Terapia do Amor todas as quintas-feiras ajudam a alcançar esse propósito e mais: elas oferecem a cada solteiro e solteira a oportunidade de conhecer alguém. Assim surgiu a Hora dos Solteiros, um evento especial cuja edição mais recente foi no dia 30 de setembro. O encontro aconteceu na Esplanada do Templo de Salomão, em São Paulo, às 18 horas.

O tempo voou e não foi para menos: afinal, o evento contou com atividades que promoveram a interação entre os presentes e com boa música da Banda Universos. Os participantes, devidamente identificados, seguravam nas mãos placas com sinais verde e vermelho, que ajudavam a integrá-los à dinâmica coletiva. Ainda havia a ajuda do Correio Elegante para quem desejasse. Aí “deu match”: muitos puderam conhecer alguém e estender o bate-papo.

O encontro, inicialmente conduzido pelo Pastor Franklin de Lara, responsável pela Hora dos Solteiros, se estendeu até 19h40, com a chegada dos professores da Escola do Amor Renato e Cristiane Cardoso. Em seguida, todos se dirigiram ao Santuário do Templo de Salomão, onde a palestra da Terapia do Amor foi ministrada a partir das 20 horas. Vale destacar que os protocolos para contenção da pandemia foram observados.

INICIATIVA
A secretária Débora Marques, de 53 anos, foi uma das participantes. Ela comentou que hoje entende a importância da Terapia do Amor.

“Antes, eu achava que não precisava, eu não queria participar, mas, aconselhada por minha filha, percebi que carregava traumas que precisava curar. Hoje, a Terapia do Amor faz parte da minha vida”, relatou. Ela também disse que a Hora do Solteiros é interessante, pois, “a princípio, está todo mundo no mesmo propósito de encontrar uma pessoa séria, que tenha os mesmos objetivos, sirva a Deus e tenha temor a Ele. É a segunda vez que venho à Hora dos Solteiros. Nós sempre aprendemos. Sempre saímos com aprendizados daqui.”

A nutricionista Jéssica Cristina Bezerra, de 28 anos, que já participou de outras edições da Hora dos Solteiros, destacou a importância de “ver outras pessoas e, principalmente, ver outras pessoas que estão na mesma Fé. Isso é extremamente importante para planejar o relacionamento. Muitos sentem vergonha, ainda mais nesta época em que estamos com o celular o tempo todo. Então, poder vir aqui e conhecer outras pessoas é muito interessante. Achei demais essa ideia”, disse.

Já o pizzaiolo Wilker Santos de Oliveira, de 32 anos, participa da Terapia do Amor há pelo menos um ano. “Comecei a participar porque, quando ouvi falar, percebi que poderia me tornar melhor como homem, como filho e como profissional. Sem as palestras, sem a direção certa, até me envolvi em relacionamentos, mas só ‘quebrava a cara’, fazia do meu jeito e da minha forma. Já frequentava a Universal, mas estava sempre resistindo à Terapia do Amor. Eu achava que as reuniões de quarta e domingo eram suficientes, mas percebi que não. A direção que recebo às quintas-feiras também é primordial”, contou.

Wilker esteve na Hora dos Solteiros pela primeira vez. “Já perguntei até de quanto em quanto tempo acontece porque quero estar em todas. É algo totalmente diferente do que existe dentro da Universal. Ela abre a nossa visão e a nossa mente”, afirmou ele, que é natural do Espírito Santo, mas vive em São Paulo.

MATCH NO APP
A autônoma Fabiana Aparecida da Silva, de 39 anos, faz parte da Terapia do Amor há cerca de cinco anos. “Embora tenhamos aprendido a Palavra de Deus, no campo da vida amorosa acabamos tomando decisões imaturas. Com as palestras, vamos aprendendo a praticar o amor inteligente, a pensar, a avaliar e a saber ponderar as coisas.”

Sempre que possível, Fabiana participa da Hora dos Solteiros que, para ela, “é uma oportunidade, um incentivo para dar um passo a mais.” No entanto ela conheceu uma pessoa por meio do aplicativo Quero te conhecer, voltado apenas para os participantes assíduos da Terapia do Amor. Ainda assim, encontrou disposição para estar ali, pois, segundo ela, “o aprendizado é para a vida inteira. É a manutenção: aprendemos uma coisa diferente. Relacionamento é isso, não tem um script, uma forma já montada.”

UM DE VÁRIOS MITOS
A palestra conduzida por Renato e Cristiane Cardoso abordou alguns mitos sobre a vida amorosa. “Muitos pensam que a vida amorosa é sorte, que têm que esperar aparecer a pessoa certa, mas essa pessoa legal não aparece do nada. Esse mito faz muitas pessoas ficarem travadas”, observou Renato, que continuou: “nós tivemos a Hora dos Solteiros e estar ali é uma ação. Talvez ninguém tenha abordado você ou você não tenha visto ninguém interessante, mas você, no mínimo, está usando o músculo da coragem, está agindo a Fé, vendo e sendo visto. A Fé age enquanto espera.” Fique atento: a Hora dos Solteiros acontece na terceira quinta-feira de cada mês.


A hora que vale a pena para os solteiros
  • Flavia Francellino / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro