Rede aleluia
A família segundo o Seu criador
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 7 de outubro de 2018 - 00:05


A família segundo o Seu criador

A sociedade discute muito a respeito do assunto, mas a definição está bem clara na Bíblia, como descreve o Bispo Edir Macedo em seu livro O Perfil da Família de Deus

A família segundo o Seu criador

Antes de pertencermos a uma escola, um clube, uma igreja, um bairro, uma cidade, uma nação ou a um continente, pertencemos a uma família. É nela que aprendemos – ou deveríamos aprender – a seguir regras, a respeitar o próximo e a fazer parte de um mecanismo maior do qual somos uma peça importante.
É exatamente por isso que, quando uma família é destruída, todos, dentro e fora dela, perdem. Destrói-se a sociedade em sua raiz. Atualmente, a família parece estar à deriva, perdida mesmo. Além disso, existem os apelos modernos da tecnologia – cada familiar com o rosto enfiado num celular, laptop ou TV, sem conversar –, o consumismo exagerado e a devassidão da mídia ruim “educando” as crianças, cujos pais, embora de corpo presente, são ausentes na vida dos filhos.

Mesmo assim, Deus sempre procura edificar o ser humano por meio de sua família. Afinal, foi Ele quem a criou.
O padrão constituído por Deus
No livro O Perfil da Família de Deus, o Bispo Edir Macedo diz que, “embora a sociedade moderna discuta muito hoje em dia a questão da composição familiar, de acordo com a Bíblia aprendemos que a constituição básica da família é a que compõe pais e filhos. Avós, tios, primos, cunhados e outros entes podem ser acrescentados ou considerados. Mas estamos falando aqui da família cujo padrão é constituído de acordo com a Palavra de Deus”.
E o modo como os membros de uma família interagem é tão importante quanto a formação dela, esclarece o Bispo: “os filhos nunca devem ocupar o lugar da mãe ou do pai. Quando um dos cônjuges substitui o outro pelos filhos, é como se estivesse sepultando a si próprio com o seu matrimônio, pois não são os dois uma só carne?”, questiona.
O diabo pode atacar a família por meio da infidelidade, dos vícios, da pornografia, do desrespeito, das brigas, etc. Mas só pode fazer isso quando a família não tem a maior de todas as bases: “se o nosso coração estiver nos filhos, pais, irmãos, no marido, na mulher, ou em qualquer coisa deste mundo, quando os perdermos também perderemos a própria razão de viver; mas se o nosso coração estiver no Senhor Jesus, então estará seguro por toda a eternidade e nunca poderá ser abalado ou destruído”, cita o Bispo em um trecho do livro.
Com Deus como começo, meio e fim em tudo o que uma família faz e é, a própria sociedade só ganha, pois já começa do único modo certo.


A família segundo o Seu criador
  • Marcelo Rangel / Fotos: Fotolia e Divulgação 


reportar erro