Rede aleluia
A chegada de uma guerra nuclear
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de Agosto de 2021 - 00:05


A chegada de uma guerra nuclear

A chegada de uma guerra nuclear

O que faz da guerra descrita no livro bíblico de Ezequiel 38 uma peça crucial para o fim dos dias? Segundo as Escrituras Sagradas, esse conflito aconteceria em um único dia e a batalha envolveria fogo e enxofre, destruindo aqueles que estiverem contra Israel quando esse fogo vier. O trecho parece estar falando de algum tipo de vaporização nuclear, em que as pessoas são impactadas por explosões nucleares.

Então podemos muito bem ter a referência de armas nucleares sendo usadas em uma guerra.

Ezequiel 38 nos mostra um cenário pós-batalha, em que se devem deixar os corpos intocáveis por sete meses, até que profissionais possam juntá-los. O lugar onde foi previsto que ao menos uma explosão aconteceria e que nunca mais seria habitado é citado nas Escrituras como Damasco, na Síria.

Não é difícil imaginar o clamor global após tal evento ocorrer, que será a gota d’água para a implementação de novas mudanças políticas para evitar que tal evento jamais ocorra novamente, mas isso é só o início do fim. Enquanto os sinais do Fim dos Tempos se espalham, outra parte da profecia que começa a se cumprir está relacionada à economia.

O sistema financeiro global é de grande preocupação para a maioria dos governantes e muitas vezes supera os terrores da guerra moderna, afinal, o dinheiro é aquilo que controla todos os aspectos de nosso mundo, incluindo a habilidade de criar guerras e cuidar de populações.

O que as Escrituras dizem sobre a economia mundial no Fim dos Tempos é ainda pior. Vários registros que acompanham a linha profética do tempo, incluindo os do Apocalipse e do Mar Morto, avisam que, quando a paz for removida da Terra, a última geração observará um colapso econômico global. A verdade assustadora é que a base da estrutura financeira do mundo vem falhando há um tempo e os problemas no sistema econômico já começaram. Isso mostra um futuro que já não é mais possível de evitar. A última geração não sentirá só as dificuldades econômicas, mas haverá um tempo em que os sistemas econômicos mundiais vão desmoronar por completo em um único dia. E o fim estará cada vez mais perto.


A chegada de uma guerra nuclear
  • Bispo Renato Cardoso / Foto: Getty images 


reportar erro