Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 31 de março de 2018 - 03:05


7 passos para resolver problemas com bancos

Conheça o passo a passo e livre-se dos transtornos

Empresas de telefonia e bancos são os maiores causadores de transtornos para os clientes, de acordo com o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). Recentemente o Universal.org divulgou, passo a passo, como resolver problemas com as operadoras de telefonia. Clique aqui para ler as orientações.

Agora conheça o passo a passo para resolver problemas com o seu banco.

1- Procure seu gerente

O primeiro passo a ser tomado na resolução de um problema em sua conta é conversar com o gerente do banco. Ligue para a agência ou fale com ele pessoalmente e explique a situação. Caso a conversa não resolva o problema, parta para o passo 2.

2- Ligue para a central de atendimento

Todos os bancos possuem linhas telefônicas de atendimento. A maioria também oferece atendimento via chat online ou e-mail. Tente resolver os problemas utilizando esses canais. Anote todos os protocolos e os deixe guardados.

3- Fale com o SAC

O Serviço de Atendimento ao Cliente é um canal de reclamações e resolução de problemas. Se o primeiro atendimento não foi bem-sucedido, entre em contato com o SAC, informe o número de protocolo do atendimento anterior e aguarde a resolução.

O SAC tem cinco dias úteis para responder sua solicitação. Guarde os protocolos.

4- Reclame à Ouvidoria

Os bancos são obrigados a manter linhas de Ouvidoria gratuitas e disponíveis durante 24 horas por dia, sete dias por semana. Se a conversa com o SAC não gerar os frutos desejados, procure a Ouvidoria.

Atenção: alguns bancos somente permitem contato com a Ouvidoria caso o atendimento no SAC tenha sido encerrado. Portanto, procure aquele canal primeiro e guarde os protocolos.

5- Lembre-se do Banco Central

O Banco Central (Bacen ou BC) é o órgão responsável por regular e fiscalizar os bancos. Assim, estão dispostos a intermediar conflitos. Com o número de protocolo é possível abrir uma solicitação no site do Bacen: www.bcb.gov.br. Também é possível entrar em contato pelo telefone 0800-9792345 ou por carta, no endereço BC – SBS Quadra 3 Bloco B – Ed. Sede – Caixa Postal: 08670 – CEP 70074-900 – Brasília – DF.

O Bacen não resolverá o problema, mas a denúncia faz com que os bancos se mobilizem. Isso porque quanto mais denúncias são registradas no Bacen e não-resolvidas, maiores as multas que os bancos pagarão.

Além disso, as denúncias servem para elaborar rankings de qualidade de atendimento que são divulgados frequentemente. Nenhum banco quer ter a imagem de mais problemático.

6- Vá ao Procon

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) existe para fazer mediações entre o cliente e a empresa sem a necessidade de abrir um processo judicial. Caso o banco se recuse a resolver o problema, você pode solicitar essa mediação.

Atualmente não é necessário abrir o processo pessoalmente, sendo possível fazer isso via internet no site do Procon de sua cidade.

7- A Justiça resolverá

Caso todas essas etapas sejam infrutíferas será necessária a intervenção judicial. Todos os consumidores têm direitos que devem ser respeitados. Se uma empresa não faz isso, precisa responder judicialmente por seus atos.


  • Por Andre Batista / Imagem: Thinkstock 


reportar erro