Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 17 de Maio de 2018 - 03:05


5 problemas de saúde causados pelas redes sociais

Conheça as enfermidades e proteja-se delas

Mais de dois bilhões de pessoas estão conectadas às redes sociais. Esse número equivale a 40% da população mundial. Embora muitos desses usuários se beneficiem da interação online, outros tantos permitem que essas mídias prejudiquem suas vidas. O Portal Universal.org listou 5 problemas recorrentes para que você possa ficar atento aos seus hábitos.

1- Vício

Uma pesquisa da Universidade Trent, de Nottingham (Inglaterra) aponta que o uso excessivo de redes sociais desencadeia problemas de relacionamento, pior desempenho profissional e/ou acadêmico e maior dificuldade para realizar interações na vida real.

Como ressalta a escritora Núbia Siqueira, “o brasileiro é vice-campeão em ficar mais tempo na internet. São 4 horas diárias envolvido em atividades como jogos, bate-papos, estudo e redes sociais. E, justamente as redes sociais que têm gerado as maiores mudanças no comportamento humano”.

2- Insônia

Embora muitos acreditem que seja lenda urbana, utilizar o celular na hora de dormir realmente atrapalha a qualidade do sono. É o que demonstra um estudo da Universidade de Pittsburgh (Estados Unidos).

De acordo com os cientistas locais, as luzes atrapalham o relógio biológico, dificultando o sono. Outro fator determinante é a obsessão em checar as notificações, que impedem o desenvolvimento de um sono mais profundo por gerar ansiedade.

3- Ansiedade

Como citado acima, a necessidade de saber tudo o que se passa nas redes sociais, especialmente as interações realizadas com você, geram ansiedade. Um estudo publicado no periódico especializado Computers and Human Behaviour relaciona o uso de redes sociais e o desenvolvimento de inquietude, dificuldade de concentração e sono, preocupação e angústia.

4- Queda de autoestima

Sabe todas aquelas pessoas felizes nas fotos das redes sociais? Elas te fazem mal. Isso acontece porque, mesmo sabendo que a vida real não é tão maravilhosa quanto aparentam as fotos, seu cérebro em certo nível acredita que aquelas pessoas estão mais felizes do que você. Isso é o que afirmam pesquisadores da Universidade Estadual da Pensilvânia (Estados Unidos).

Já os pesquisadores da Universidade de Strathclyde (Reino Unido), Ohio (Estados Unidos) e Iowa (Estados Unidos) também revelaram que as pessoas costumam se comparar esteticamente com selfies alheias, gerando um sentimento negativo de desapontamento consigo mesmas.

5- Depressão

Por fim, o uso excessivo e desorientado das redes sociais pode desencadear uma das doenças que mais matam atualmente: a depressão. Não apenas o bullying praticado online é grave, como também o desenvolvimento de uma visão distorcida da realidade e a sensação de perda de tempo.

As redes sociais são ferramentas extraordinárias para quem as utiliza de forma adequada, porém podem ser devastadoras para quem não está atento. “Exatamente por termos ao nosso alcance uma ferramenta tão poderosa, precisamos nos educar a usá-la e assim termos um ganho positivo”, conclui Núbia Siqueira. Clique aqui e leia o artigo completo da escritora.


  • Por Andre Batista / Imagem: Universal.org 


reportar erro