Rede aleluia
40 fatos interessantes sobre o Templo de Salomão que você precisa conhecer
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 1 de agosto de 2017 - 03:00


40 fatos interessantes sobre o Templo de Salomão que você precisa conhecer

Construção localizada na capital paulista foi inaugurada há 3 anos

40 fatos interessantes sobre o Templo de Salomão que você precisa conhecer

Neste ano, a Universal celebrou 40 anos de existência divulgando a Palavra de Deus pelo mundo. E um dos principais marcos dessa história foi a construção do Templo de Salomão, na capital paulista.

A edificação surgiu com o intuito de resgatar a “Santidade ao Senhor” nos dias atuais e tem promovido a transformação na vida de inúmeras pessoas ao longo de 3 anos de existência, completados no dia 31 de julho.

Confira abaixo, 40 fatos interessantes sobre o Templo de Salomão:

1- A obra foi totalmente inspirada na Bíblia. A Palavra de Deus registra que, quando os hebreus foram libertos da escravidão no Egito, Deus orientou a Moisés para que instituísse o Tabernáculo – uma tenda móvel (Hebreus 8.2-5). Esse espaço abrigaria a Arca da Aliança (veja mais detalhes sobre esse símbolo sagrado abaixo) e representaria a presença do Senhor entre o Seu povo;

2-Anos mais tarde, quando os israelitas já habitavam a Terra Prometida e se fixaram ali, o rei Davi desejou construir um Templo para o Altíssimo (1 Crônicas 22). Esse desejo foi consolidado pelo seu filho e sucessor no trono, Salomão. Por isso, esse local sagrado é conhecido como Templo de Salomão;

3-O Templo de Salomão, localizado na capital paulista, não é singular apenas por ser uma construção ímpar, mas, principalmente, pelo seu valor espiritual que promove reverência ao nome de Deus nos tempos de hoje;

4-A edificação tem 56 metros de altura, 126 metros de comprimento e 104 metros de largura. Para a sua construção foram utilizados 28 mil metros cúbicos de concreto e 2 mil toneladas de aço;

5-Na área externa do Templo, há cisternas que ficam sob o piso (no chão e nos telhados) e em algumas colunas da construção. Esse sistema recolhe água proveniente das chuvas para reutilização, promovendo, assim, um uso inteligente dos recursos hídricos;

6-O sistema de irrigação do Jardim Bíblico, localizado na área externa, é inspirado em um método utilizado na Terra Santa, há mais de dois mil anos. São canos ou mangueiras com perfurações intercalados entre a vegetação;

7-O Templo foi revestido com 40 mil metros quadrados de pedras vindas de Hebrom, em Israel;

8-Essa grandiosa obra levou 4 anos para ser edificada completamente;

9-A cor dourada é predominante na área externa do Templo e não é por acaso: o ouro, na Bíblia, era utilizado nos objetos sagrados e simbolizava a natureza de Deus – imutável;

10-O Templo de Salomão possui a certificação Leadership in Energy and Evironmental Design (LEED). Esse selo verde é concedido apenas aos projetos que buscam valorizar o meio ambiente;

11-No Jardim Bíblico, há uma réplica fiel ao Tabernáculo dos tempos de Moisés, em escala original como o que foi construído há mais de 3 mil anos;

12-Em frente à réplica do Tabernáculo, há o Altar de Bronze. Ele era utilizado para receber as ofertas do povo hebreu: um animal, escolhido com base em critérios bíblicos, que representaria a pessoa diante de Deus. O Senhor Jesus, nos dias de hoje, assume essa posição, por isso, na Bíblia, Ele é conhecido como o “Cordeiro amado” (Apocalipse 5.12), porque, ao morrer na cruz, Se sacrificou, levando sobre Si os pecados da humanidade;

13-Dentro do Tabernáculo havia alguns objetos sagrados. Um deles era o candelabro, ou Menorá – uma espécie de castiçal que era aceso pelo sacerdote todos os dias. Para manter as chamas acesas, colocava-se azeites em suas copas. Nos dias de hoje, nós somos o Templo do Espírito Santo (candelabro), e o Espírito Santo (azeite) é o que mantém a nossa fé (chama) acesa permanentemente;

14-No interior do Tabernáculo, há também o Altar de Incenso. Quando o Sacerdote acendia os incensos, a fumaça representava a oração do povo chegando ao Altíssimo;

15-A Mesa do Pães da Proposição (ou da Presença) representava o alimento espiritual que vem de Deus para o Seu povo. A Bíblia também faz uma referência ao Senhor Jesus como o “pão da vida” (João 6.47-51);

16-Em uma área ainda mais interna do Tabernáculo, havia o Santo dos Santos. Nesse local, apenas o Sumo Sacerdote podia entrar e ali era guardada a Arca da Aliança;

17-A Arca da Aliança era a representação de Deus entre o Seu povo. E dentro dela eram guardadas as Tábuas dos Dez Mandamentos, a Vara de Arão e o Maná enviado por Deus;

18-Por causa de sua fidelidade histórica, a réplica do Tabernáculo e seus utensílios sagrados foram utilizados para retratar os tempos de Moisés na abertura da novela “Os Dez Mandamentos”;

19-Até mesmo a roupa dos Sacerdotes tinha um significado. “Santidade ao Senhor” era uma frase gravada na coroa do Sumo Sacerdote, quando este adentrava o Tabernáculo para se apresentar a Deus, e simbolizava a vida de santidade que a pessoa deveria ter para servir ao Altíssimo. Deus deseja que o Seu povo viva longe do pecado;

20-A Faixa do sacerdote indicava que ele estava pronto para servir a Deus. Para participarmos do Reino de Deus, precisamos estar preparados;

21-O sacerdote usava um peitoral com 12 pedras de ônix, cada pedra representa uma tribo de Israel;

22-Na borda do manto havia pequenos sinos que avisavam o povo de que o Sumo Sacerdote estava no Santo dos Santos. Deus, por meio de Sua Palavra, continuamente anuncia as Suas orientações para a nossa vida;

23-As cores da roupa do Sumo Sacerdote faziam referências ao Messias, que salvaria o mundo do pecado: o Senhor Jesus. A natureza de Santidade do Salvador era representada pelo branco;

24-O ouro representava a sua imutabilidade e divindade;

25-O Senhor Jesus foi anunciado como o Deus-Filho e, como homem, descendia da linhagem real de Davi, da tribo de Judá (Mateus 1), esse fato era representado pela cor púrpura;

26-O carmesim representava o Seu sangue que foi vertido na cruz;

27-E a sua natureza celestial era representada pelo azul;

28-Ainda na área externa do Templo, há 12 oliveiras plantadas retratando o Getsêmani, localizado no Monte das Oliveiras, em Jerusalém. Cada uma delas possui mais de cem anos e vieram do Uruguai;

29-Ao lado das oliveiras, há o Memorial. Nesse local há artefatos sagrados que retratam a história do povo hebreu e do Templo;

30-O formato arredondado do Memorial faz uma referência ao Monte Moriá, um local sagrado da Bíblia (Gênesis 22.16-17). Em seu blog, o bispo Edir Macedo esclarece em detalhes a relação do Cenáculo com o Monte;

31-Ali, há doze colunas que contam a história das tribos de Israel, originadas dos nomes dos 12 filhos de Jacó: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulon, José (da qual surgiram as tribos de Manassés e Efraim) e Benjamim;

32-As bandeiras fixadas na esplanada do Templo de Salomão representam os países em que a Universal está presente divulgando a Palavra de Deus;

33-As luminárias em forma de trigo simbolizam os servos de Deus. Por meio do Espírito Santo, iluminamos o mundo com a Sua luz;

34-As altas tamareiras fixadas na esplanada do Templo fazem referência à passagem bíblica: “o justo florescerá como a palmeira” Salmos 92.12,13;

35-Já as colunas do Templo representam a nossa vida fundamentada nos ensinamentos de Deus: nos tornamos fortes e sustentados espiritualmente quando obedecemos a Sua Palavra;

36-Na entrada do Templo há uma porta principal, essa porta representa o Senhor Jesus que, por meio de Seu sacrifício pela humanidade, Se tornou o único caminho ao Pai;

37-No interior do Templo, há o Altar, que representa Deus. É ali que o sacrifício é apresentado. Deus quer uma definição da nossa fé, por isso, o Altar é símbolo de total entrega ao Altíssimo, a renúncia de si mesmo para se viver na dependência de Deus;

38-Em frente ao altar há 12 pedras, cada uma delas representa as 12 tribos de Israel;

39-Quando não há ocorrência de reunião, um véu branco cobre o Altar. Esse véu representa o corpo do Senhor Jesus que foi rasgado ao meio em sacrifício, ao carregar sobre Si os pecados da humanidade na cruz. A Bíblia diz que o véu do Templo se rasgou de alto a baixo, quando o Cordeiro amado entregou o Seu espírito ao Pai (Mateus 27.50-51);

40-Clique aqui, confira o horário das reuniões no Templo e participe. Você também pode fazer um passeio pelo Jardim Bíblico. Clique aqui, para agendar.

O que achou dessa lista? Deixe nos comentários como foi a sua experiência ao conhecer o Templo de Salomão, da capital paulista.


40 fatos interessantes sobre o Templo de Salomão que você precisa conhecer
  • Por Daniel Cruz / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro