Câncer de próstata: o assassino silencioso

Por Andre Batista / Imagem: Thinkstock

Assassino silencioso. Assim muitos especialistas descrevem o câncer de próstata. Isso porque quando a vítima percebe os sintomas da doença já é tarde demais. Em sua fase inicial, esse tipo de câncer é quase imperceptível, o que faz com que muitos portadores demorem a buscar ajuda médica. A consequência disso é que, no Brasil, esse tipo de tumor se tornou o segundo mais letal entre os homens, perdendo só para o câncer de pulmão.

A próstata é uma glândula exclusiva do sistema reprodutor masculino, localizada na parte baixa do abdômen, próxima ao reto. Alguns homens enxergam os exames preventivos como invasivos e, por isso, mantêm o preconceito e evitam procurar o médico.

Entendendo a gravidade dessa situação, foi criada, em 2011, a campanha “Novembro Azul”. A partir dali, em todos os anos, o 11º mês é dedicado a orientar e incentivar os homens a cuidarem melhor de sua saúde. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é o 6º mais comum no país, mas cerca de 20% dos portadores só descobrem a doença quando ela já está em estado avançado.

“Essa é a principal doença maligna nos homens, atrás apenas do câncer de pele”, explicou o urologista Rafael Buta, em entrevista concedida à Record TV. De acordo com o especialista, “em sua fase avançada ele pode se espalhar tanto localmente e atingir estruturas vizinhas da próstata, como a bexiga e a musculatura da bacia, quanto se espalhar pelo corpo inteiro, pelos ossos, pulmões...”

Por isso o combate a ela é tão importante.

Como combater

Durante a campanha de conscientização sobre o câncer de próstata, raramente se fala em sintomas. E o doutor Buta explica o porquê:

“A gente não frisa nos sintomas porque eles só aparecem na fase avançada da doença. Quem os apresenta, em 95% das vezes, vai ter uma doença avançada. ”

Por isso, o mais importante é agir preventivamente. A partir dos 50 anos de idade, todos os homens devem procurar o urologista para realizar os exames preventivos. Pessoas integrantes dos grupos de risco, porém, devem buscar acompanhamento profissional antes dessa idade. Formam esses grupos homens:

  • Com histórico de câncer na família;
  • Afrodescendentes;
  • Com dietas ricas em gorduras e pobres em verduras, frutas e legumes;
  • Que sofrem com distúrbios hormonais;
  • Sedentários;
  • Com excesso de peso;
  • Fumantes;
  • Ou frequentadores de ambientes nocivos à saúde (como locais afetados por radioatividade, por exemplo).


Não deixe de cuidar da sua saúde. Se você está entre as pessoas a quem são indicadas as consultas preventivas, realize-as.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente