Rede aleluia
Falso: Bispo Macedo anuncia “água que cura coronavírus” em grupo do WhatsApp
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Mitos e Verdades | 11 de junho de 2020 - 18:25


Falso: Bispo Macedo anuncia “água que cura coronavírus” em grupo do WhatsApp

Falso: Bispo Macedo anuncia “água que cura coronavírus” em grupo do WhatsApp

Mito​: Um perfil anônimo no Twitter publicou imagens com troca de mensagens que, supostamente, seriam do Bispo Edir Macedo, pastores e outras pessoas qualificadas como “irmão” ou “irmã”.

Nessas mensagens, o Bispo Macedo teria afirmado que seria disponibilizada “a água que cura o coronavírus, [no] valor de 2 mil reais”. Ainda segundo a reprodução, “quem não é irmão não terá direito a (sic) água”.

Alguém identificado como Pastor Diego teria se oferecido para intermediar a venda da tal água para as pessoas do tal grupo.

Verdade​: Trata-se da reedição de uma ​fake news que já circulou pelas redes sociais, logo no início da epidemia da Covid-19 no Brasil.

As imagens do tal grupo no WhatsApp são uma fraude grosseira. Jamais esse tipo de troca de mensagem partiria do Bispo Macedo, ou de qualquer oficial da Igreja Universal do Reino de Deus. O conteúdo absurdo desse diálogo inventado pretende, mais uma vez, incitar o ódio religioso contra mais de 7 milhões de adeptos da Universal no país.

Além disso, quem conhece a Universal sabe que o tratamento “irmão” ou “irmã” — repetido inúmeras vezes nas supostas conversas — não é utilizado por bispos e pastores, e tampouco entre os fiéis e simpatizantes da Igreja.

Serão tomadas as medidas legais cabíveis contra os responsáveis.


reportar erro