Quando o golpe vem disfarçado de amor

Casos de estelionato sentimental, em que a vítima é extorquida por supostos namorados, têm chamado a atenção da mídia. Confira a importância de permanecer alerta para não cair nessa cilada


Por Maiara Máximo / Arte: Eder Santos

Um empresário foi condenado a pagar R$ 55 mil a uma mulher por estelionato sentimental. Ele, que é proprietário de uma agência de viagens, mantinha um relacionamento virtual com uma de suas clientes.

Depois de ganhar a confiança dela, ele passou a relatar dificuldades financeiras e afirmou que precisaria de R$ 10 mil para investir na empresa. A mulher depositou R$ 5 mil para o namorado virtual e deixou claro que se tratava de um empréstimo, mas o empresário não lhe pagou.

Dois dias depois, ele viajou para a cidade de João Pessoa (PB), onde residia a suposta namorada, para conhecê-la pessoalmente. Durante a estadia, alegou ter perdido a carteira e pediu para que ela pagasse as despesas da viagem, como hospedagem e alimentação, e ainda requisitou um empréstimo de R$ 600.

Depois de mais um “empréstimo”, ele deixou de atender as ligações da mulher e desapareceu. Inconformada, ela buscou informações e descobriu que ele era casado e pai de três filhos. A jovem se sentiu enganada e ingressou com ação judicial pedindo indenização por danos morais e materiais.

A juíza Silvana Carvalho Soares, da 4ª Vara Cível da Comarca de João Pessoa, observou que “o réu se utilizou da confiança da promovente, acenando com possibilidade de grandes lucros e de uma parceria e casamento, no campo pessoal.” Para a magistrada, o sumiço do empresário com o dinheiro caracterizou um ato ardiloso utilizado para subtrair a quantia.

Crime
Esse não é um caso isolado. Seja pela internet, seja presencialmente, cada vez mais casos de estelionatos sentimentais são divulgados na mídia: homens que se aproximam de mulheres e mantêm um relacionamento só para se aproveitar delas financeiramente.

A expressão estelionato sentimental surgiu depois de uma sentença proferida em 2015 pelo juiz da 7ª Vara Cível de Brasília, que condenou um homem a restituir valores à ex-namorada e que eram referentes a empréstimos e a vários gastos realizados durante o relacionamento.

O que fazer?
Os estelionatários sentimentais sempre se aproveitam da fragilidade de suas vítimas para conseguir o que desejam. Por isso, toda atenção é necessária para não cair nesse golpe. Caso você tenha sido vítima desse tipo de golpista, lembre-se sempre da possibilidade de ingressar com uma ação judicial.

O advogado Juliano Fidelis dos Santos aconselha a vítima a conseguir o maior número possível de provas, pois é necessário demonstrar, por meio de pagamentos efetuados (gastos e prejuízos), o vínculo entre as duas pessoas e, assim, poder entrar com um processo.

“É sabido que uma relação amorosa está fortemente vinculada a fatores de confiança, fidelidade e honestidade”, ressalta o advogado. Portanto uma pessoa que gera prejuízos e se mostra desonesta não é alguém com caráter e dignidade suficientes para estar em um relacionamento saudável e feliz. Fiquem alertas.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Quando o golpe vem disfarçado de amor

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games